Parceria entre secretarias da Agricultura e Educação levará cursos para a juventude rural

Parceria entre secretarias da Agricultura e Educação levará cursos para a juventude rural
agosto 18 07:45 2020 Imprimir Conteúdo

Cursos semi-profissionalizantes envolverão 1.545 jovens atendidos pelo Projeto Dom Távora

Jovens do campo terão a oportunidade de participar de cursos semi-profissionalizantes nas áreas ‘Microempreendedor Individual’ e ‘Agricultura Orgânica’. Os cursos serão ofertados online com, no mínimo, 20 alunos; e serão possibilitados através de uma cooperação técnica firmada entre a Secretaria de Estado da Agricultura (SEAGRI) e a Secretaria de Estado da Educação (SEDUC). O plano de trabalho foi discutido na última quinta-feira, 13 de agosto, por meio de videoconferência realizada com a participação do secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, e do superintendente executivo da SEDUC, José Ricardo de Santana, e respectivas equipes técnicas, que irão encaminhar providências para efetividade dos cursos, como levantamento de demanda, logística e equipe de professores.

A secretaria da Agricultura vai viabilizar a participação dos 1.545 jovens atendidos pelo Projeto Dom Távora na implementação de negócios comunitários. O Secretário André Bomfim disse estar entusiasmado com a oportunidade de oferecer novas possibilidades para os jovens do campo. “Fomos bem recepcionados pela equipe da SEDUC desde o início. Confesso que estou bastante otimista porque essa ação é reflexo do compromisso do governo com a educação profissionalizante, aliando oportunidade de renda para os jovens do campo ao fortalecimento das cadeias produtivas”, disse André.

O coordenador de Desenvolvimento de Capacidades do Projeto Dom Távora, Manoel Messias, destaca ser essa é uma grande oportunidade para a juventude rural. “Ao possibilitar a participação de mais de 1.500 jovens atendidos pelo Projeto Dom Távora, a Seagri e a Seduc os auxiliam na abertura de novos caminhos, e fomentam ainda mais cadeias produtivas como ovinocultura, avicultura e artesanato”, disse Messias.

Segundo o superintendente executivo da SEDUC, José Ricardo de Santana, a ideia é oferecer cursos prioritariamente não presenciais. “Para o curso de Microempreendedor Individual é bem factível a realização não presencial, mas no caso da agroecologia orgânica, o Estado dispõe de escolas em condições de fazer alguma demonstração prática em unidades como a Escola Agrícola de Japoatã e a Escola Ronaldo Pacheco, em Neópolis, desde que com os devidos cuidados de segurança e sanidade que o momento exige”, pontuou o superintendente.

Da assessoria

Foto: Ednilson Barbosa

  Editoria: