“Onde estão as verbas do governo Temer para Sergipe?”, questiona Henri Clay

“Onde estão as verbas do governo Temer para Sergipe?”, questiona Henri Clay
julho 24 06:07 2018 Imprimir Conteúdo

“Onde estão as verbas do governo Temer que André Moura trouxe para Sergipe?” O questionamento foi feito pelo pré-candidato do PPL ao Senado, o Presidente licenciado da OAB, Henri Clay Andrade, em entrevista concedida a uma rádio do município de Tobias Barreto.

Henri Clay criticou as péssimas condições das estradas estaduais que dão acesso ao município e perguntou: “Desse um bilhão não tem um centavo para recuperar essas rodovias?”, indagou o pré-candidato ao Senado.

Ele ainda responsabilizou o governo do estado, que após seis anos de gestão, não conseguiu melhorar a condição das estradas sergipanas.

“O governo de Jackson Barreto deixou as estradas abandonadas. Esse governo é também responsável pelo fraco desempenho da economia e pelo alto índice de desemprego em Sergipe”, apontou o advogado.

Na oportunidade o presidente licenciado da OAB avaliou que as péssimas condições das rodovias estaduais geram diversos problemas para os sergipanos, incluindo aí o enfraquecimento do tradicional comércio de Tobias Barreto.

“Tobias Barreto sempre foi o celeiro do comércio sergipano, era referência do estado, era um polo econômico. Mas o governo não conseguiu executar sequer obras básicas, como a manutenção das rodovias e estradas, o que também prejudica o setor”, analisou o pré-candidato, que destacou a importância de valorizar as vocações econômicas de cada região sergipana.

Henri Clay aproveitou para criticar mais uma vez as reformas trabalhista e da previdência. “Prestem atenção em quem defende uma reforma da previdência que acaba com a aposentadoria dos brasileiros. Bem assim é a reforma trabalhista, trata-se do maior retrocesso social de perda de direitos de todos os tempos. A sua revogação é necessária para resgatar direitos fundamentais dos trabalhadores”, afirmou o pré-candidato.

Por último, o advogado conclamou a população a não votar branco ou nulo. “Temos que ir às urnas no dia 7 de outubro. O voto branco ou nulo só contribui para manter essa política inoperante e corrupta. É preciso irmos às urnas para votar válido, votar consciente, votar para expulsar os maus políticos do poder”, finalizou Henri Clay Andrade.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: