Onco Hematos chama atenção para a prevenção ao câncer de próstata

outubro 31 14:01 2019 Imprimir Conteúdo

Campanha mundial, o Novembro Azul tem o objetivo de chamar  a atenção para os cuidados com a saúde do homem, em especial à prevenção e o combate ao câncer de próstata. Este é o tipo de câncer mais frequente nos homens, excluindo-se o câncer de pele não melanoma.

Segundo o urologista André Yoichi, que integra a equipe multidisciplinar da Onco Hematos, o homem, culturalmente, tem menos cuidado com a própria saúde e procura menos por atendimento médico.  “Por isso, em sintonia com a Sociedade Brasileira de Urologia, que este ano trás como tema ‘Seja Herói da sua Saúde’, a Onco Hematos não só apoia a campanha como ajuda a divulgar e conscientizar a população sobre o tema”, destaca.

Estimativas

Dados do INCA estimam aproximadamente 68 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil em 2019. “O que representa quase 32% dos casos de câncer em homens – excetuando-se o câncer de pele não melanoma. Para se ter  uma ideia desses números, a cada sete minutos uma pessoa tem o diagnóstico de câncer de próstata no Brasil”, ressalta André Yoichi.

“Para o estado de Sergipe são estimados algo em torno de 700 novos casos. Apesar da grande frequência, o câncer de próstata representa a segunda causa de óbito por câncer, com uma estimativa de um óbito a cada 40 minutos”, complementa.

Prevenção e fatores de risco

Ainda de acordo com o urologista, ainda não há um método para evitar a doença e a forma mais eficaz de atingir a cura é o diagnóstico precoce. “Ninguém sabe exatamente o que causa o câncer de próstata, mas há uma relação clara entre a idade e o aumento de sua incidência, sendo incomum antes dos 45 anos e apresentando uma frequência progressivamente maior conforme a idade do paciente”, explica o urologista, enumerando alguns fatores de risco.

“O histórico familiar é um fator relevante. Se um parente de primeiro grau (pai ou irmão) já desenvolveu a doença, o risco é maior. Acredita-se ainda que a questão racial possa ser importante no desenvolvimento do câncer de próstata. Nos Estados Unidos, a doença é mais comum entre afrodescendentes, no Brasil também os afrodescendentes possuem o risco 1,5 vezes maior. Alguns estudos mostram que uma dieta rica em carne e gordura animal também aumentam o risco de doença”, detalha.

Exames preventivos

André Yoichi salienta que é recomendado que homens realizem avaliação periódica com urologista a partir dos 50 anos ou 45 anos para quem tem fatores de risco citados previamente. “Os exames que geralmente são realizados são o PSA (a partir de uma amostra de sangue) e o toque retal. Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal”, destaca.

Quando um câncer é diagnosticado, são realizados exames para definir o grau e extensão da doença e atualmente é possível oferecer um tratamento individualizado para cada paciente. “Hoje os avanços da medicina ampliam cada vez mais o número de opções de tratamento, beneficiando o paciente através da implementação da tecnologia na cirurgia, na radioterapia e no desenvolvimento de novas medicações”, finaliza Yoichi.

Ascom/Onco Hematos

 

  Editoria: