Odontologia avança, atua no esporte e alerta para proteção bucal

Odontologia avança, atua no esporte e alerta para proteção bucal
maio 06 15:08 2019 Imprimir Conteúdo

Cirurgião dentista atenta que as lesões podem gerar graves infecções

Por Suzy Guimarães

A Odontologia vai muito além da clínica ou da estética. Na verdade, ela está presente em diversos setores e um deles é o que compreende as atividades esportivas. O professor Murilo Oliveira, cirurgião dentista e coordenador do curso na UNINASSAU Aracaju, explica que os protetores bucais têm evitado graves lesões que podem ocorrer nas atividades físicas de contato direto como artes marciais, boxe, karatê, judô, handebol, basquete e no futebol, esporte mais popular no Brasil. Ele explica que há diversos tipos de protetores disponíveis no mercado e recomenda principalmente o uso dos fabricados nos consultórios através do odontólogo.

“As pessoas precisam perceber que o uso dos protetores dificulta a ocorrência de traumas na face, o que pode acarretar graves problemas para quem for lesionado. Nesse sentido, acho importante informar que há vários tipos de protetores bucais no mercado, desde os pré-fabricados industrialmente até aqueles produzidos em consultório”, disse o professor. Ele explicou que o protetor pode ser especifico. “Algumas pesquisas cientificas mostram que ainda há resistência por parte dos atletas na utilização desses dispositivos, por conta da perda de rendimento respiratório alegado por eles”, ressaltou Murilo.

O professor deixa claro que o trauma não atinge apenas a dentição, mas pode comprometer os tecidos moles e cortar os lábios. Murilo observou que são partes sensíveis que podem ser afetadas causando complicações mais sérias para o traumatizado. Com o protetor, no entanto, ele atenta que por mais forte que seja a pancada poderá ocorrer um dano mínimo.

“Eu aconselho o protetor de silicone, feito no consultório com o odontólogo, que oferece maior segurança para o atleta. “A escolha é individual, no entanto como profissional me cabe orientar para o melhor”, alertou o professor.

Murilo afirmou que com relação ao uso de protetores ser um tema especifico discutido nos círculos de Odontologia, o curso da Uninassau Aracaju, abordará essa temática dentro das disciplinas de reabilitação oral. “Num futuro próximo será uma das especialidades da área, pelo crescimento da Odontologia”, observou o coordenador de Odontologia.

Outros traumas

O professor explicou ainda que para o atleta de alto rendimento o equilíbrio do organismo é fundamental. Diferente das outras profissões o instrumento de trabalho do atleta é o seu próprio corpo, sendo assim alterações bucais podem interferir no seu dia a dia. “O trabalho preventivo é fundamental para o atleta. Uma inflamação ou infecção podem acarretar na ausência em treinamentos ou as vezes até mesmo em importantes competições. Em esportes coletivos estas ausências são suprimidas pela substituição do atleta, mas em esportes individuais isso não acontece”, certificou Murilo.

Ele citou como principais traumas os orofaciais e dentários ocasionados principalmente em esportes de contatos. Outros traumas que apresentam grande frequência e que passam despercebidos em muitos casos, são os traumatismos funcionais que ocorrem pelo simples apartamento contínuo realizado pelos esportistas durante o exercício, como é o caso dos levantadores de peso

 

 

 

  Editoria: