Ocupe a Praça resgata autoestima do sergipano trazendo história e vida de Cândido de Faria

Ocupe a Praça resgata autoestima do sergipano trazendo história e vida de Cândido de Faria
junho 01 09:19 2018 Imprimir Conteúdo

Ilustrador, chargista, cartazista, artista plástico e sergipano. Esse é Cândido de Faria. Nascido em Laranjeiras, em 1849, formou-se na Academia Imperial de Belas Artes do Rio de Janeiro e, em 1882, chegou à França, onde fez os cartazes dos primeiros filmes da Pathé, sociedade de cinema francesa, e tornou-se o principal ilustrador da empresa. Com a finalidade de resgatar e apresentar aos sergipanos esse artista completo que o mundo reverencia, a Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), por meio do Núcleo de Produção Audiovisual (NPD), realizou na noite desta quarta-feira, 30, uma edição especial comemorativa a um ano do projeto ‘Ocupe a Praça’. O evento aconteceu no Centro Cultural da capital, localizado na praça General Valadão.

“Essa edição do Ocupe a Praça é audacioso. Estamos, na verdade, fazendo um conserto de um erro histórico. Apresentamos a Sergipe o ícone da representação artística sergipana que é ovacionado até hoje na França. O nome de Cândido de Faria pode ser desconhecido para a maioria dos sergipanos, mas ele faz parte da história da Caricatura Brasileira e dos primórdios da Sétima Arte, sendo ícone de referência. Hoje, aqui, a gente está levantando a bandeira do respeito, da dignidade, da valorização do nosso artista, e chamando o público para refletir”, afirmou a coordenadora do NPD, Graziele Ferreira.

A convidada especial para participar do quadro ‘Liquidifica Diálogos’ do projeto foi a diretora de acervo da Fundação Pathé da França, Stéphanie Salmon. A francesa contou sobre a trajetória profissional e vida do Cândido de Faria no exterior, apresentou imagens com os principais cartazes do artista sergipano e exibiu três curtas-metragens sobre o artista plástico. Acompanhada da tradutora Rebeca Porto, da Aliança Francesa, por meio de mais uma parceria da Funcaju, Stéphanie disse estar muito feliz com o momento e agradeceu a oportunidade. “É um imenso prazer trazer para vocês um pouco sobre a história e importância de um sergipano que tanto movimentou a indústria do cinema, assinando um dos primeiros cartazes de filme da história, com o Les Victimes de l’alcoolisme, de 1902”, pontuou.

A professora e pesquisadora da vida e obra de Cândido de Faria, Germana Gonçalves, também dialogou com o público presente e destacou a vinda da diretora da Fundação Pathé para Aracaju. “Este projeto pelo nome já diz, é uma forma de socializar determinados conteúdos e debates, ou seja, trazer a população para perto da arte e da cultura de forma democrática. Trazer a Stéphanie Salmon para o Ocupe a Praça é tornar o Cândido uma memória, uma figura mais próxima do conhecimento sergipano”, destacou.

De acordo com o presidente da Funcaju, Cássio Murilo, o ‘Ocupe a Praça’ não é somente uma festa e, sim, um momento de debates sobre temas de relevância social. “É a junção das mais variadas linguagens. Dentro deste projeto já trouxemos, em cada edição, temas de grande importância para todos, entre eles, discutimos gênero e transgênero, direitos humanos e o penúltimo desta temporada foi sobre a presa política Ana Côrtes, que também tem importância histórica para Sergipe. Já o de hoje seguiu a premissa de repatriarmos a história de Cândido de Faria,principalmente, por ser sergipano e pela sua produção. Assim devemos nos aproximar e reafirmar da sua memória”.

Para o designer gráfico, Rafael Oliva, a edição especial Ocupe a Praça Cândido de Faria trouxe muito mais do que valorização, trouxe autoestima para os sergipanos. “Acredito que para todos nós ele trás uma imensa representatividade e que ele deve ser sempre lembrado. Fiquei empolgado e gostaria muito que, em outra oportunidade, a Funcaju trouxesse da França os cartazes originais dele e fizesse uma exposição para apresentar a nossa população”, sugeriu.

Para encerrar a noite e já em clima junino, o grupo ‘Nanã Trio’ encantou o público com um novo repertório, especial para as festas juninas, valorizando a cultura musical nordestina. O evento contou, ainda, com a participação especial de Bob Lelis, da Rural do Forró.

Foto: Edinah Mary

  Editoria: