“O município precisa estar preparado para qualquer crise na Saúde”, afirma Danielle

“O município precisa estar preparado para qualquer crise na Saúde”, afirma Danielle
outubro 28 12:48 2020 Imprimir Conteúdo

A candidata a prefeita de Aracaju, a delegada Danielle Garcia 23 (Cidadania), foi entrevistada pelo jornalista Gilvan Fontes, nesta terça-feira, 27, no Jornal do Estado (TV Atalaia). Ela falou sobre a decisão de disputar a Prefeitura de Aracaju e destacou algumas propostas.

“A inquietação do tanto que a corrupção afeta a vida das pessoas foi o que me trouxe para a política. Mas hoje, mais do isso, o que me move é a indignação de ver pessoas morando tão mal, na lama, sem saneamento básico, se acesso a escola, a saúde. E é o desejo de mudar isso que vai me fazer lutar até o fim com toda minha força. Talvez por eu não ser política eu me indigne mais com essa situação”, ressaltou.

Danielle destacou que a receptividade por onde passa “tem sido a melhor possível”. “As pessoas me acolhem, batem no peito e dizem delegada, eu vou votar em você. Tudo isso com a esperança nos olhos. Mais do me encher de alegria, me traz responsabilidade. Vou retribuir todo essa energia com muito trabalho” salientou.

A delegada afirmou que o combate à corrupção será uma de suas marcas enquanto prefeita. Para ela, sem corrupção muito dos recursos sobra para que ser utilizado, efetivamente, na prestação de serviços ao cidadão. “Toda a minha experiência policial virá neste sentido. A questão do controle, da disciplina na administração pública. Prevemos uma secretaria específica para cuidar desse controle de tudo o que é feito na gestão, da revisão dos contratos. Se eu tanto combati a corrupção e foi exatamente isso que me fez vir para a política, eu não posso permitir que nenhum ato de corrupção ocorra em uma gestão minha”, enfatizou.

A candidata reforçou a importância de realizar a licitação do lixo e do transporte público na capital. “A quem interessa não fazer essas licitações e manter as mesmas empresas atuando por meio de contratos precários? Nós vamos fazer e corrigir isso imediatamente. A gente tem a oportunidade de abrir para outras empresas prestarem o mesmo serviço e com a mesma qualidade, mas com o preço mais barato”, pontuou.

Danielle Garcia detalhou a criação de comitês estratégicos para administrar a capital. “Serão quatro comitês: da gestão, do desenvolvimento, da cidade e da dignidade. Comitês integrados para solucionar os problemas de forma conjunta”, explicou.

Ao falar sobre a pandemia da Covid-19, Danielle disse que o município precisa estar preparado para qualquer situação na saúde. “Estabelecer um fluxo de atendimento pronto para qualquer tipo de crise. Mesmo a alta complexidade sendo atribuição do Estado, o prefeito precisa ter responsabilidade para criar leitos de UTI. O nosso gargalo na pandemia foi justamente aracajuanos tendo que se deslocar para UTIs no interior porque a capital não atendia a essa demanda. A criação destes leitos na rede municipal é urgente e eles precisam estar sempre disponíveis”, frisou.

A educação também foi pautada na entrevista, com destaque para a qualidade do ensino na rede municipal. “Temos a pior nota IDEB entre as capitais do país. Precisamos modernizar a educação, usando modelos de cidades com bom desempenho.  Capacitação profissional, gratificação para os que atingirem as metas, reformulação da grade curricular, colocando o aluno para aprender o conteúdo certo na idade certa. São coisas simples, mas que precisam de uma olhar mais cuidadoso para que não passe em branco e a gente tenha uma geração perdida”, concluiu.

Por Ascom/Danielle Garcia

  Editoria: