O buraco é mais embaixo

O buraco é mais embaixo
janeiro 07 08:11 2021 Imprimir Conteúdo

Por Adiberto de Souza

Na contramão do discurso anticorrupção feito na campanha de 2018, este governo militar decidiu reeditar a velha política do toma lá, dá cá. Esta é a única moeda capaz de conquistar os votos de parlamentares do famigerado Centrão. Visando diminuir a ansiedade dos eleitores do candidato à presidência da Câmara, deputado Arthur Lira (PP), o Palácio do Planalto vai acelerar a liberação de emendas parlamentares e atender as indicações políticas para cargos do segundo e terceiro escalões. Ao ceder à velha política do que “é dando que se recebe”, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sepulta mais uma de suas promessas de campanha: acabar com as indicações políticas sem nenhum critério e a liberação de recursos públicos em troca de votos no Congresso. Diante da necessidade de eleger seu candidato, o capitão de pijama abriu a guarda, pois como ex-deputado do Centrão sabe que, diferente da campanha, na vida real o buraco é bem mais embaixo. Desconjuro!

Quem me quer?

Decididamente, o PSDB virou mercadoria sem muito valor. Desde o fim das eleições, que o presidente estadual da legenda, Eduardo Amorim, tenta atrair futuros emplumados, porém todos têm lhe batido a porta na cara. A candidata derrotada a prefeita de Aracaju, delegada Danielle Garcia (Cidadania), se disse honrada com o convite, mas preferiu ficar onde está. O ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL), jura que não se filia ao PSDB nem amarrado. A proposta do líder tucano também foi recusada por Milton Andrade, presidente do PL de Aracaju. Até políticos menos votados têm corrido do convite tal qual o diabo foge da cruz. Marminino!

No estaleiro

O ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) está no estaleiro, depois de ter contraído coronavírus. Pelas redes sociais, ele comunicou que, “após exames, fui testado positivo para a Covid-19. Estou passando bem, assintomático, mantendo-me em quarentena pelo tempo exigido para evitar a contaminação de outras pessoas”. Desejamos pronta recuperação ao ex-senador!

Mistureba

Quando Dom Pedro Segundo

Governava a Palestina

E Dona Leopoldina

Devia a Deus e o mundo

O poeta Zé Raimundo

Começou castrar jumento

Teve um dia um pensamento:

“Tudo aquilo era boato”

Oito noves fora quatro

Diz o Novo Testamento!

Os versos acima são do repentista Zé Limeira, o poeta do absurdo.

Sinal amarelo

O governador Belivaldo Chagas (PSD) vai discutir com o Comitê Técnico Científico medidas necessárias para conter a propagação da Covid-19 em Sergipe. Há quem garanta no Palácio do Governo que deverão ser adotadas providências mais duras visando reduzir a propagação da doença. Desde as festas de Natal e Ano Novo aumentou o número de vítimas do coronavírus, com o registro médio de oito mortes por dia. Pelo menos por enquanto, o governo não pensa em decretar lockdown, medida proposta por Miguel Nicolelis, coordenador do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus no Nordeste. Crendeuspai!

Contra o golpe

Os senadores Rogério Carvalho (PT) e Alessandro Vieira (Cidadania) condenaram a tentativa de golpe nos Estados Unidos. Segundo o petista, o presidente Donald Trump, “assim como Bolsonaro, não se submete a nada, além da própria vontade. Eles ameaçam a democracia e o processo civilizatório da humanidade. São populistas e autoritários”. Por sua vez, o cidadanista disse que “quem incentiva a invasão violenta de prédios públicos para contestar o resultado de uma eleição é bandido”. Misericórdia!

Troca de figurinhas

E quem esteve, ontem, com o governador Belivaldo Chagas (PSD) foi o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT). Os dois aliados trocaram figurinhas sobre o momento político do estado e, naturalmente, discutiram sobre o crescimento em Sergipe do número de casos da Covid-19. Após o encontro, Nogueira festejou o fato de ter sido “muito bem recebido pelo governador no Palácio Olímpio Campos. Mais uma oportunidade para reforçarmos a parceria da Prefeitura com o Governo”. Então, tá!

Último a saber

Foi preciso o ex-prefeito Mané do Povo (PSD) botar fogo em documentos no interior da Prefeitura de Itabi para o Tribunal de Contas de Sergipe resolver inspecionar a administração do “incendiário”. Não tivesse o ex-gestor resolvido transformar em fumaça possíveis irregularidades, o TCE velho de guerra continuaria achando que o governo de Mané do Povo – ou seria Mané do Fogo? – era um bom exemplo a ser seguido. E ainda há quem fique jararaca quando as línguas ferinas chamam o TCE de Tribunal faz de Contas. Arre égua!

 Eleitor de carteirinha

O deputado federal Gustinho Ribeiro (SD) é fiel eleitor do colega de bancada Arthur Lira (PP), candidato à presidência da Câmara. Segundo o parlamentar lagartense, Lira reúne aquilo que é mais importante para o Legislativo: “A boa relação com o governo e a coragem para defender as prerrogativas do Parlamento sempre que for necessário. Além do mais, possui capacidade para construir consensos e respeito às diversas bancadas da Câmara”. Ah, bom!

Imprensa de araque

Com raríssimas exceções, a imprensa sergipana perdeu por completo o gosto pela apuração dos fatos, pela verdadeira notícia, preferindo ocupar seus espaços com macilentos releases oficiais e notinhas bajulatórias. É deveras lastimável que os nossos outrora combativos veículos de comunicação tenham trocado a investigação dos acontecimentos, as divulgações polêmicas, por notícias insossas, feitas para agradar o governo de plantão e os clientes endinheirados. Uma imprensa de araque faz muto mal à democracia e é um péssimo exemplo aos futuros jornalistas. Home vôte!

República das bananas

Deve ser terrível viver num país como os Estados Unidos, onde um grupelho de baderneiros estimulados pelo presidente da República, invade o Congresso em plena luz do dia. Ainda bem que aqui no Brasil de Jair Bolsonaro não corremos esse risco. Aff Maria!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Diário da Manhã, em 10 de janeiro de 1917.

  Editoria: