Monique Domingues: “Minha mãe está morta por causa da negligência do Hospital de Propriá”

Monique Domingues: “Minha mãe está morta por causa da negligência do Hospital de Propriá”
julho 16 09:39 2020 Imprimir Conteúdo

Na edição desta quarta-feira, 15, o programa Inove Notícias da rádio Cultura 670 Am. com apresentação do radialista Kleber Alves [horário das 16 às 18] acompanhou o drama da senhora Monique Domingues que bastante indignada relatou o falecimento de sua mãe (Ermínia Domingues de Santana — 52 anos) pela Covid-19.

“Minha mãe ficou durante 07 dias, internada no Hospital Regional de Propriá precisando de um leito de UTI e não surgia”, salientou. Além da tristeza com a ausência de sua mãe, Monique lamentou o péssimo tratamento realizado pela equipe da unidade. “Ninguém dizia nada sobre o estado da minha mãe. A primeira médica super (mal) educada comigo”, frisou.

Monique prossegue relato denunciando que tem dois respiradores trancados dentro do contêiner instalado à frente do hospital que não funciona. “Engraçado, tendo dois contêineres na frente do hospital (ela estando com a Covid-19) com respiradores lá trancados, com minha mãe precisando de um e ninguém chegou para entregar um para ela sobreviver mais um pouco. A Covid-19 levou a minha mãe por negligência dos governantes que dizem que tem leitos de UTI. Onde”? Questionou Monique. Que revelou a existência de 31 pessoas na frente de sua mãe na espera!

Durante reportagem, Monique lamentou a falta de ajuda da prefeitura.

“Cadê os mais de R$ 7 milhões que vieram para o município, pessoas morrendo em Propriá todo dia por causa dessa doença. Porque o prefeito não ajudou”? Ela lembrou que a mãe antes de ir ao hospital, apesar de estar com sintomas, foi ao posto de saúde e foi mandada para casa.

Voltando ao tratamento dispensado dentro do hospital, Monique destacou: “Minha mãe está morta por causa de negligência do Hospital de Propriá, onde fomos mal tratados, passei 07 dias para receber notícias de minha mãe. Minha mãe morreu era (13:07h) e, vieram me informar quase às 16h. Uma irresponsabilidade o hospital de Propriá, falta de atenção com os familiares”, citou.

Em relação aos contêineres, Monique revelou que não estão funcionando, “Só de enfeite. Com aluguéis sendo pagos. A saúde em Propriá é esquecida. O hospital de Propriá é um matadouro. As pessoas que trabalham falta amor”, enfatizou.

A senhora Ermínia Domingues faleceu na última segunda-feira. “A dor não vai passar, mais a minha revolta não vai passar em branco. A minha mãe morreu por negligência, por falta de leito de uma UTI”, concluiu.

Com informações do Programa Inove Notícias

Por Elder Santos

  Editoria: