Mercado central: bandidos simulam “batida de carro” para assaltarem motoristas

Mercado central: bandidos simulam “batida de carro” para assaltarem motoristas
agosto 07 16:23 2018 Imprimir Conteúdo

Os assaltos e furtos na área onde está localizado o mercado central de Aracaju, antigo Albano Franco, virou rotina e tem tirado o sossego de feirantes, clientes d funcionários do estabelecimento que diariamente são vitimas da ação dos marginais.

A cada dia inovando no modo de ação, agora os assaltantes abordam de forma educada os motoristas que estacionam seu veículos na região e, normalmente em dupla, eles se aproximam das vitimas e dizem que “bateram na traseira” do carro. Na maioria das vezes a vitima desce e nesse momento um dos bandidos roubam a bolsa ou carteira de sua “presa” que está desprotegida.

Esta semana uma fato semelhante terminou com a prisão de um trio e mais uma vez, um casal de menor envolvido no assalto.

Uma senhora que foi vitima dessa situação conta que foi abordada e após ser roubada, foi com o filho e prestou queixa, informando que o autor do furto estaria no estacionamento do mercado. A polícia, que segundo a vitima não tinha viatura para ir até o local, foi levada pelo filho da vitima e após ele (vitima) convencer o ladrão, este acabou entregando os comparsas e todos foram presos.

Por conta desses constantes assaltos, o momento do mercado central diminuiu sensivelmente, o que fez com que o presidente da Associação dos Feirantes, o advogado Thierysin Santos se pronunciasse. Ele afirma que irá se reunir com os feirantes e formar uma comissão para irem até a prefeitura conversar com o prefeito Edvaldo Nogueira.

O advogado afirma que “esses roubos são uma constante aqui. A  segurança publica no mercado municipal está um caos. A gente já cobrou várias vezes das autoridades, mas até agora não se resolve nada dos estacionamentos. Tanto do lado interno quanto do lado interno”, disse Thieryson.

Segundo ele, a “prefeitura tem em um ônibus exclusivo para transportar a guarda municipal com câmeras de alta resolução e câmera ligadas à secretaria de segurança pública. Cadê esse ônibus? esse ônibus foi usado apenas no forró caju. Porque não usar esse ônibus dentro do estacionamento dentro do estacionamento do mercado.  A Guarda Municipal tem pouca estrutura e a polícia militar pouco passa no estacionamento”, denunciou o advogado.

Munir Darrage

  Editoria: