MEC coloca UNINASSAU como melhor curso particular de Medicina de PE

dezembro 15 14:55 2020 Imprimir Conteúdo

Avaliação da graduação foi a melhor entre as de todas as instituições privadas no estado

O curso de Medicina da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Recife foi o destaque da avaliação do Ministério da Educação (MEC), ficando com a melhor nota entre as instituições privadas de Pernambuco no Conceito Preliminar de Curso (CPC) referente ao ano de 2019. Foram avaliadas mais de 8.000 graduações em todo o Brasil.

De acordo com a diretora acadêmica do Ser Educacional, grupo mantenedor da Instituição, Simone Bérgamo, esse já era um resultado aguardado. “Foi com grande orgulho que recebemos o resultado do CPC. Para nós, essa avaliação veio para comprovar a excelência do trabalho realizado em nossa Instituição, que envolve tanto o corpo docente e funcionários, quanto os nossos alunos. Temos certeza que estamos no caminho certo, formando profissionais qualificados e conscientes do seu papel na sociedade”, afirmou.

O CPC é um conceito que atribui nota de 1 a 5 aos cursos de nível superior. Para sua formação, são levados em conta o desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), o nível de formação acadêmica dos professores, o regime de trabalho dos docentes (integral ou parcial) e a percepção dos estudantes sobre a qualidade do curso.

O diretor médico do curso de Medicina da UNINASSAU, Cláudio Lacerda, explicou que a graduação já se tornou referência na região. “Fomos a primeira Instituição do Nordeste a ter a Mesa Sectra, um instrumento de aprendizagem com tecnologia 3D, totalmente voltada para alunos da graduação. Além disso, toda a estrutura, com laboratórios de saúde equipados com o que há de mais moderno, salas de metodologias ativas e corpo docente com 93% com mestrado ou doutorado”, destaca.

Com o alto conceito no CPC, o curso fica em total legalidade com o MEC, pode solicitar ao Ministério abertura de mais vagas para o curso e fica bem qualificada para distribuição de vagas em programas do governo federal.

Por Suzy Guimarães

  Editoria: