Maria do Carmo diz que “João assinava documentos para a irmã sem saber o que era”

Maria do Carmo diz que “João assinava documentos para a irmã sem saber o que era”
março 08 10:20 2019 Imprimir Conteúdo

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM/SE), fez um verdadeiro desabafo na manhã desta sexta-feira (08), ao comentar sobre o estado de saúde do marido, o ex-governador João Alves Filho, que segundo ela, “se encontra em um estágio muito avançado do Alzheimer “.

Durante a entrevista que concedeu ao jornal da Fan, a senadora voltou a afirmar que se aposenta ao final de seu mandato, mas que continua na vida pública.

Outra revelação feita pela senadora, foi a troca no comando do DEM e anunciou que o novo presidente do Democratas em Sergipe será  o ex-prefeito de Frei Paulo, Erinaldo, que assume a direção do partido no lugar do ex-deputado federal Mendonça Prado.

A senadora falou ainda sobre a última gestão de João Alves da vida pública e disse lamentar que “tenha terminado assim” e que a sua candidatura foi provocada por amigos e principalmente por sua irmã, a então secretária, Marlene Calumby.  “João está com Alzheimer e quando estava na prefeitura já estava doente, mas infelizmente só percebemos muito depois. Hoje o quadro da doença nele é extremamente avançado”, contou a senadora.

Maria do Carmo foi mais além ao afirmar que o então prefeito de Aracaju, João Alves, assinava os papeis sem saber o que estava assinando e que ela teria presenciado o prefeito fazer algumas coisas erradas por não saber o que estava assinando. “Vi ele fazer muita coisa errada, mas ele já não estava bem. A própria irmã dele e que era secretária de Governo, Marlene Calumby, levava documentos que ele assinava sem nem saber o que estava assinado”, disse.

Ainda sobre o estado de saúde de João enquanto prefeito, Maria afirmou que “muitas vezes secretários levavam documentos para ele assinar e quando via, ele estava dormindo. Ai o secretário avisava a nossa secretária para levar ele para dormir”, disse Maria.

Ao final da entrevista, Maria do Carmo explicou que João Alves, que hoje reside em Brasília em sua companhia, já recebeu 20 notificações da justiça, mas que ele não tem mais condições de responder a nada por conta da doença. “Uma coisa é certa, João não tem condições de responder por mais nada”, informou a senadora.

Munir Darrage

 

  Editoria: