Manoela Dávila: o Brasil não pode ser governado por um covarde

Manoela Dávila: o Brasil não pode ser governado por um covarde
julho 23 09:20 2018 Imprimir Conteúdo

Manoela Dávila, pré-candidata do PCdoB à presidência da República chegou a Aracaju e foi recepcionada pelo prefeito Edvaldo Nogueira, vereadores e membros do partido e irá participar de debate com militantes e com a população.

Antes do encontro, a pré-candidata concedeu entrevista coletiva e defendeu a participação de mulheres na política e informou que é a mulher mais jovem a disputar a presidência.

Durante a entrevista, a pré-candidata defendeu a união dos partidos de esquerda, considerou a prisão de Lula como política mas ao se referir ao candidato Jair Bolsonaro, Manoela foi dura nas criticas.

Manoela Davila afirmou que “o Brasil não pode ser governador por um covarde. Ele é o ódio e eu sou o amor”, disse a pré-candidata que se posicionou contra o projeto de Bolsonaro que defende leis mais duras no combate ao crime.

Durante a sua entrevista, Manoela disse ainda que “um País como o nosso ser pobre não pode acontecer. É preciso saber que há famílias que vivem com cento e trinta reais. Isso não é justo”, lamentou durante a entrevista à radialista Magna Santana, no jornal da Fan.

Edvaldo – o prefeito Edvaldo Nogueira que participou da coletiva, afirmou que “eu sou político” ao se referir às eleições no estado e afirmou que “ainda vai ter muitos problemas e nós temos que ter paciência. Vocês viram que tinha gente que queria antecipar a campanha, mas ela vai começar no dia 5. Como diz Eclesiastes: há tempo para tudo. Eu espero que tudo corra como planejamos e como fizemos na eleição passada”, afirmou.

  Editoria: