Mais um passo foi dado para tratamento de resíduos sólidos do CONSCENSUL

Mais um passo foi dado para tratamento de resíduos sólidos do CONSCENSUL
novembro 08 10:36 2018 Imprimir Conteúdo

Aconteceu na manhã dessa quarta-feira (07), a assinatura do Termo de Autorização para o controle e destinação de resíduos sólidos do Consorcio Público de Saneamento Básico do Sul e Centro Sul Sergipano (CONSCENSUL), que é formado por 16 dezesseis municípios. A iniciativa tem a supervisão da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese) e pretende avaliar, através da apresentação de estudos locais das empresas participantes, qual melhor se adequa a situação encontrada no Estado. A solenidade aconteceu no Palácio dos Despachos e contou a presença de diretores das entidades e das empresas habilitadas para operar o serviço.

A iniciativa visa atender as demandas de 16 municípios sergipanos (Arauá, Boquim, Cristinápolis, Estância, Indiaroba, Itabaianinha, Lagarto, Pedrinhas, Poço Verde, Riachão do Dantas, Salgado, Santa Luzia do Itanhy, Simão Dias, Tobias Barreto, Tomar do Geru e Umbaúba) e obedece a Lei Federal nº 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, pregando que os estados e municípios brasileiros deverão realizar a gestão compartilhada na área de resíduos sólidos.

O diretor técnico da Agrese, Jean Carlos Nascimento, afirma que mais um passo foi dado. “Estou muito feliz, porque enquanto fui prefeito de Boquim, fiquei como presidente do CONSCENSUL por quatro anos e venho torcendo para que todo o processo realmente aconteça em Sergipe. É bom frisar que o Estado não terá nenhum custo agora e que as análises serão feitas pelas empresas participantes, onde depois o resultado será avaliado pelas comissões, que escolherão qual o melhor modelo deve ser implementado no Estado”, explica.

O atual presidente do CONSCENSUL, Adinaldo do Nascimento Santos, tem olhado com a mesma perspectiva. “Sem dúvida, uma demonstração definitiva que os municípios se atentaram que não podem resolver esse grande problema sozinho. Será um grande desafio, mas temos a convicção que todos os 16 participantes já estão fazendo um enorme esforço para se tentar chegar a uma solução e já, nos próximos 90 dias, teremos a possiblidade de saber qual será o melhor projeto apresentado por uma dessas sete empresas, poderá atender os requisitos solicitados por nossa comissão, formada de técnicos de órgãos ambientais de nosso Estado”, detalha.

No total, sete empresas manifestaram interesse em participar da licitação. São elas: Cavo Serviços e Saneamento; Sinertec; Eco Tuwa; Revita Engenharia Sustentável; Molise Serviços e Construções; Verdes Projetos e Serviços. Todas elas terão o prazo de noventa dias para apresentarem estudos de viabilidade técnica, econômico-financeira, ambiental e jurídica para a destinação dos resíduos sólidos dos municípios integrantes do CONSCENSUL.

TDANTAS comunicação

  Editoria: