Mais de cinco mil crianças nasceram na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes em 2018

Mais de cinco mil crianças nasceram na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes em 2018
janeiro 09 06:44 2019 Imprimir Conteúdo

Segundo a equipe de Assistência Social, no ano anterior, o índice ficou em 5.729, e 1.415 crianças foram registradas na própria MNSL

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerida pela Secretaria do Estado da Saúde (SES), registrou de janeiro a dezembro de 2018, 5.447 nascimentos tendo o cartório da maternidade emitido 1.389 Certidões. No ano anterior, esse índice ficou em 5.729, e 1415 crianças foram registradas na própria MNSL, conforme informou a Assistente Social, Fátima Andrade, Referência Técnica da unidade de saúde.

O cartório da MNSL funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 19h. As certidões são autorizadas pelos cartórios unificados e interligados com a maternidade, os 6°, 7°, 13° e 15°ofícios. A Certidão de Nascimento é o primeiro documento que garante a cidadania do recém-nascido e, através dela, o bebê passa a ter acesso aos benefícios sociais como bolsa família, auxílio e benefícios eventuais (auxílio maternidade e cesta básica), Benefícios de Prestação Continuada, caso tenha algum tipo de necessidade especial, exames e procedimentos de alta complexidade do SUS, entre outros.

Fátima relata que o processo para obter a certidão de nascimento na própria maternidade é simples e rápido.  “Para a emissão da Certidão, é preciso apresentar a Declaração de Nascido Vivo (DNV), documentos de identificação dos pais, como RG E CPF, certidão de casamento, e dois e-mails dos pais ou de familiares”, observou Fátima. A assistente social acrescentou que os genitores podem optar pela naturalidade do filho ser do município de domicilio ou da capital, de acordo com a Medida Provisória 776/2017.

Ainda de acordo com a Referência Técnica, de 2017 para 2018 foram realizados alguns procedimentos novos no cartório da “Lourdinha”. “Além do e-mail como parte da documentação necessária para o registro, os recém-nascidos já saem da unidade com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) inserido na certidão e com o Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS). Os genitores podem optar, também, pela naturalidade do filho ser do município de domicilio ou da capital”, esclareceu.

Ela informou, ainda, que a Secretaria de Estado da Saúde, através da Fundação Hospitalar de Saúde de Sergipe (FHS), disponibiliza os recursos humanos e materiais necessários para que haja um funcionamento do cartório com eficiência e qualidade na prestação do serviço.

O Técnico de Manutenção, José Adilson Costa Pinto, 54 anos, pai da pequena Anne Pyetra Melicio Costa, que nasceu na MNSL no último dia 03 de dezembro, comentou que o registro foi  rápido e que a criança já sairá da unidade com CPF, e cartão do Sistema Único de Saúde – SUS. “Estou muito satisfeito”, disse José Adilson.

Para Roger Brito Souza Neto, 33 anos, pai de Giovana Brito Nunes, que nasceu no último dia 3, é essencial ter um cartório na própria maternidade. “Fica muito prático e desobriga os pais de se deslocar para outro bairro. Foi um privilégio registrar minha filha, hoje ela é uma cidadã”, comentou Roger.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: