Mais de 240 pessoas estão inscritas no Seminário Comunicar para Incluir

Mais de 240 pessoas estão inscritas no Seminário Comunicar para Incluir
setembro 18 07:25 2018 Imprimir Conteúdo

Mais de 240 pessoas estão inscritas no Seminário Comunicar para Incluir, que começa às 8 horas, e segue até as 17 horas na Sociedade Semear. Elas vão discutir a importância da comunicação no processo de inclusão social de pessoas com deficiência, desde o seio familiar até o ambiente profissional.

Durante a manhã, o seminário contará com duas palestras, seguidas de debates. A primeira palestra será ministrada pela doutora em Educação Patrícia Rezende, professora do Instituto Nacional de Educação de Surdos – Ines –, do Rio de Janeiro, que falará sobre a comunicação da pessoa surda tendo a família como principal coadjuvante, os caminhos e desafios a enfrentar para garantir a prática da Libras como segunda língua desde os anos iniciais do ensino regular em todas as escolas.

O segundo palestrante da manhã será Pedro Prata, relações públicas e mestre em Comunicação, coordenador da Escola de Gente, instituição referência em inclusão e acessibilidade premiada pela ONU, que falará sobre a comunicação como instrumento de inclusão da pessoa com deficiência, as garantias legais de acesso à informação e as inovações no âmbito da comunicação inclusiva.

TARDE

No período da tarde, haverá uma mesa redonda sobre práticas inovadoras na comunicação inclusiva. Teremos a presença de profissionais de outros estados que apresentarão e falarão sobre as seguintes tecnologias:

OrCam MyEye – óculos que permitem às pessoas com deficiência visual reconhecerem textos, produtos e até mesmo rosto de outras pessoas.

Livox – software de comunicação alternativa, mundialmente premiado, desenvolvido no Sistema Android para tablet, para auxiliar no desenvolvimento da comunicação e no processo de aprendizagem. É a única tecnologia no mundo que possui recursos de inteligência artificial e aprendizado de máquina, desenvolvidos como tecnologia de acessibilidade. A pessoa pode assinalar os desejos, expressar suas vontades, discriminar imagens, aprender o nome e as funções dos objetos que estão a sua volta. Além disso, desenvolver atividades de vida diária e prática, tudo isso de forma ilustrada, com palavras, vídeos e áudios, que geram uma associação importante para o aprendizado, instigando a fala.

Hand Talk – utilizado por mais de 360 milhões de pessoas com deficiência auditiva no mundo, 9,7 milhões no Brasil, realiza tradução digital e automática para a Língua Brasileira de Sinais, por meio de dois produtos principais: seu Tradutor de Sites traz acessibilidade digital em Libras para a comunidade surda e seu aplicativo quebra a barreira de comunicação que há entre ela e os ouvintes. A empresa, premiada internacionalmente e referência no segmento, é comandada por um simpático intérprete virtual, o Hugo, um personagem 3D que torna a comunicação interativa e de fácil compreensão.

CittaMobi – Aplicativo para Android e iOS, gratuito, que calcula em tempo real o tempo da chegada de uma linha de ônibus a um determinado ponto. Traz filtros para previsão de horário de um ônibus, aponta os carros adaptados para cadeirantes e usa sistema de geolocalização, exibido por um mapa, que ajuda o usuário a enxergar os pontos mais próximos de onde está.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: