Mais de 2 mil prisões foram realizadas nos primeiros seis meses de 2018

Mais de 2 mil prisões foram realizadas nos primeiros seis meses de 2018
julho 19 13:50 2018 Imprimir Conteúdo

Somente pelo Batalhão de Radiopatrulha, foram realizadas 432 prisões

As polícias Militar e Civil de Sergipe vêm realizando um trabalho integrado para garantir maior segurança ao cidadão sergipano. Só nos primeiros seis meses deste ano foram realizadas mais de 2 mil prisões, um número crescente em relação ao ano de 2017. Isso mostra o trabalho ostensivo das forças policiais no Estado de Sergipe.

Somente pelo Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), foram atendidas 330 ocorrências, que resultaram na prisão de 432 suspeitos e na recaptura de 17 foragidos da Justiça, além de apreensões de 65 veículos, entre carros e motocicletas, com restrições administrativas e de roubo, mais 33,6 kg de drogas, sendo 27 kg de maconha, 3,5 kg de crack e 3,1 kg de cocaína. Também foram apreendidas 33 balanças de precisão, 91 armas de fogo, 577 munições dos mais diversos calibres, oito coletes balísticos e a quantia de R$ 21.190,00, sendo R$ 15.190,15 em espécie.

Para o tenente-coronel George, comandante do BPRp, todo esse resultado é um trabalho conjunto da tropa com outras unidades policiais. “Nós do Batalhão de Radiopatrulha, uma tropa especializada da Polícia Militar, nós cumprimos diretrizes operacionais do Comando da Polícia Militar, por meio do Comando de  policiamento Militar da Capital, no intuito de fazer o que a gente chama de recobrimento de áreas dos Batalhões de Aracaju, com operações em dias e horários  específico, atendendo e cobrindo as demandas que  eles não consigam cumprir na atividade deles, seja por quais motivos forem,” ressaltou.

O trabalho é contínuo e as forças policiais do Estado estão trabalhando para que o cidadão sergipano possa ter maior segurança. Segundo o comandante, as estratégias de fortalecimento e de policiamento na aérea da Grande Aracaju e o apoio diário as outras unidades policiais no combate ao crime continuam, para que a população tenha aquela sensação de segurança e tranquilidade que o cidadão tanto busca.

“A nossa meta é superar sempre as estatísticas passadas. Nós corremos atrás desse objetivo, se por acaso a gente não conseguir, consideramos  também, um ponto positivo, pois o crime não vai ter acontecido. O incentivo que a gente passa aqui pela manhã, que é: Se sair um bandido de casa pra roubar, a gente sai pra prender,” concluiu o oficial.

Fonte e foto SSP

  Editoria: