Live do Tribunal de Contas debate a eficiência do sistema de saúde

Live do Tribunal de Contas debate a eficiência do sistema de saúde
julho 15 16:56 2020 Imprimir Conteúdo

 

Em um momento onde se discute a eficiência e práticas do sistema de saúde no Brasil e no mundo, o Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE) endossou a pauta promovendo, na manhã desta quarta-feira 15, a live “Eficiência do sistema de saúde”, em seu canal no Youtube.

Organizada pela Escola de Contas  Conselheiro José Amado Nascimento (Ecojan), a ação virtual teve participações do presidente da Academia Sergipana de Medicina, Prof. Dr. Roberto César Prado; da Prof. Dra. Ana Carla Bliacheriene, sergipana egressa da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e docente da Universidade de São Paulo (USP); e do presidente da Sociedade Médica de Sergipe (Somese), Prof. Dr. José Aderval Aragão.

Diretor da Ecojan e entusiasta desse novo formato de troca de conhecimento, o conselheiro Carlos Pinna de Assis reafirmou o compromisso da instituição e a continuidade das ações até o fim da pandemia.

Neurocirurgião e presidente da Academia Sergipana de Medicina, o Dr. Roberto César Prado ministrou a palestra “O que manter, o que mudar”, onde explorou os conceitos de eficiência, efetividade e eficácia do SUS, sistema que há 30 anos se propõe a promover de maneira igualitária a saúde da população brasileira.

“O SUS é modelo mundial e seu problema é aplicabilidade, de gerência. Sabemos de todas as dificuldades e nós, médicos, devemos atuar em conjunto com órgãos fiscalizadores e reguladores para atingirmos o bem comum, que é a total eficiência do modelo”, afirmou Dr. Roberto.

Sergipana radicada na capital paulista, a professora Dra. Ana Carla Bliacheriene conhece de perto as dificuldades do sistema de saúde nacional. Pesquisadora da área, a segunda palestrante tocou nas questões jurídicas ao explorar “Aspectos Jurídicos da operação da saúde”.

“Nós precisamos enxergar o sistema de saúde a partir de um olhar 360º, transdisciplinar, que engloba aspectos do Direito, da gestão pública e de saúde”, disse. No decorrer de sua participação, a estudiosa do tema destacou ainda a importância dos marcos normativos na regulamentação e da promoção do conceito de equalidade, e questionou categoricamente: “Como pensar em sistema de saúde se a maioria dos brasileiros ainda não tem acesso a saneamento básico?”.

Responsável por concluir os trabalhos na live, o presidente da Somese, José Aderval Aragão, enfatizou o papel dos profissionais da medicina por meio da palestra “A ação dos médicos na Pandemia”.

“Os médicos sempre estiveram à frente das pandemias; nesta, da Covid-19, não é diferente. Eles se vestem de super-heróis, deixam suas famílias e vão para a linha de frente dos atendimentos, na maioria deles, sem estrutura alguma. Nosso papel é uma constante busca por protocolos, remanejos, para encontrar paliativos e tratamentos eficientes, vítimas deste vírus que não conhecemos direito. Neste momento, buscamos orientações, estudos, comprovações que amenizem sofrimento dos pacientes diante de tanta falta de estrutura de alguns hospitais.”, finalizou o Dr. José Aderval.

Por DICOM/TCE

  Editoria: