Líquido serve de simulação da contaminação do Coronavírus através do dinheiro

Líquido serve de simulação da contaminação do Coronavírus através do dinheiro
fevereiro 03 13:05 2021 Imprimir Conteúdo

 

Setransp tem realizado campanhas de incentivo ao uso do cartão  eletrônico no ônibus para evitar contágio com dinheiro

Dentre as maneiras de combater o vírus da Covid-19 no dia a dia, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Aracaju (Setransp) direciona o não uso de dinheiro no Transporte Público Coletivo. Foi comprovado que cédulas ou moedas são capazes de contaminar rapidamente uma pessoa, afinal o dinheiro roda de mãos em mãos, e concentra o vírus em sua superfície por até cinco dias, segundo infectologistas.

Com o intuito de demonstrar meios de prevenção, o Setransp traz para a Capital um experimento com um líquido ultravioleta. Imperceptível ao olho nu, o líquido se colocado nas cédulas de dinheiro simula como funciona o contágio de vírus e bactérias com o repasse de moedas e notas dentro dos ônibus ou no comércio em geral.

No vídeo apresentado com o experimento feito em Maceió (AL), é possível ver um passageiro, que ao entregar uma nota de dinheiro ao cobrador poucos minutos depois a mesma é repassada a outro, demonstrando, com isso, a fácil circulação do vírus entre as pessoas que tiveram acesso à nota contaminada.

Em Aracaju, apesar do sistema  Transporte Público Coletivo dispor da  bilhetagem eletrônica há mais de dez anos, ainda é notório a quantidade de cédulas dentro dos veículos. Quase 30% do número passageiros utilizam dinheiro no ônibus.

O Setransp convida a imprensa para testar o experimento para levar à sociedade a conscientização quanto a importância de se prevenir substituindo o uso do dinheiro pelo cartão no transporte.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: