Linda Brasil demonstra apoio aos trabalhadores dos transportes alternativos

maio 04 07:19 2022

Na manhã desta terça-feira, 03, a vereadora Linda Brasil (PSOL) acompanhou a fala do representante da categoria dos motoristas da Cooperativa de Transportes Alternativos e de Passageiros e Fretamento da Zona de Expansão (Cooptaze) , o advogado Drº Luiz Gustavo Fontes.

A categoria tem solicitado a legalização do transporte, além do crescente desemprego, alguns motoristas tem tido seus carros apreendidos, única fonte de renda uma vez que as famílias estão com dificuldades para se manter.

“Eu queria reforçar que vamos analisar o Projeto de Lei que está tramitando na casa parlamentar, estamos passando por um caos no transporte público coletivo, e essa regulamentação vai ajudar no transporte no município de Aracaju. Fico feliz em saber da união das cooperativas, e reforço a importância desse diálogo para que possamos pensar em formas de sanar esse caos que se encontra hoje a situação do transporte público, não só o coletivo, mas o transporte de lotação, de bandeiras, que está passando por várias dificuldades”, relatou.

Solidariedade à situação dos animais na Sementeira

Em aparte a fala da vereadora Emília Corrêa (Patriota), Linda também reforçou a gravidade do ocorrido no Parque da Sementeira com os gatos que vivem no Parque. Recentemente, mais de dez gatos foram mortos e a situação continua sem solução. A parlamentar endossou a importância de se ter políticas de cuidado com os animais do Parque e de preservação à vida deles.

“Isso tem a ver com a falta de políticas públicas efetivas, porque temos um Projeto de Lei que garante o castramóvel, mas ele não funciona, que deveria ser móvel justamente para irem esses locais, e como é importante a castração para diminuir a quantidade, e o cuidado com essas colônias. Vemos pessoas e grupos solidários a essa situação, então, precisamos promover campanhas de conscientização sobre a questão do abandono aos animais que é um crime, porque não investem na comunicação? Temos casos aí como o CSU que também tem essa problemática, de uma quantidade grande de gatos e sem nenhum cuidado com os animais e as usuárias/os. Se tivéssemos campanhas de conscientização e se o castramóvel funcionasse talvez essas situações não aconteceriam”, colocou.

Foto assessoria

Por Laila Thaíse Batista de Oliveira.

  Editoria: