Laércio vai apresentar emenda para excluir trabalhadores braçais da Reforma da Previdência

Laércio vai apresentar emenda para excluir trabalhadores braçais da Reforma da Previdência
maio 07 05:38 2019 Imprimir Conteúdo

 

Em entrevista coletiva concedida na reunião da União dos Policiais do Brasil (UPB/Sergipe), nesta segunda, 6, sobre Reforma da Previdência, o deputado federal Laércio Oliveira afirmou que vai apresentar uma emenda ao texto para propor a retirada do trabalhador braçal da reforma. “O trabalhador braçal com 70 anos não tem condição de fazer o trabalho quando tinha 40. Acho que temos que retirá-los também. Vou tentar enquadrar na mesma regra do trabalhador rural”, explicou.

“Sou favorável a Reforma da Previdência porque ela é uma fábrica de desigualdades. Quem legisla tem as maiores aposentadorias (e por esse motivo desde o meu primeiro dia de mandato renunciei a aposentadoria especial de parlamentar), quem julga tem as maiores aposentadorias, o povo brasileiro, as menores. Além disso, atualmente o custo da Previdência é quatro vezes maior do que investimentos em saúde e educação juntos. E para crescer, o país precisa fazer mais investimentos especialmente em infraestrutura e educação. A reforma não vai atingir o trabalhador. Vamos mirar naqueles que ganham muito e contribuíram pouco”, explicou Laércio.

Laércio explica que para conseguir fazer todos esses investimentos, o estado precisa organizar as contas. “O crescimento dos gastos do Brasil foi descontrolado e por isso aprovamos na Câmara dos Deputados o teto dos gastos, considerado pelo governo um passo importante para a continuidade das mudanças. O teto está aí, mas como afirmou o ministro da Economia Paulo Guedes, um teto sem paredes de sustentação cai. E essa parede de sustentação são as reformas”, disse.

Previdência para a polícia

O parlamentar lembrou que está aberto a conversar com as categorias para entender as particularidades de cada uma, como é o caso dos policias. Não existe condições de igualar os policiais com o trabalhador civil. Existem particularidades que essa categoria sofre, por isso vim a esse evento para discutir o assunto. “É a primeira vez que sou convidado por uma categoria organizada para participar de uma reunião desse tipo. Os policiais do Brasil estão com um trabalho maravilhoso com um assunto importante e vocês estão de parabéns. Foi um momento bom para trazer clareza para o texto, acho muito justo e legitimo o interesse de vocês em discutir pontos que promovam a segurança da atividade de vocês que fazem a segurança de todos nós, inclusive a minha. Então continuem assim mobilizados os parlamentares e mostrando os pontos que sugerir para vocês para que possam obter êxito”, enfatizou Laércio.

Atualmente, os policiais se aposentam com idade mínima de 55 anos, 30 anos de contribuição e 25 anos de atividade estritamente policial, tanto para homens quanto para mulheres. Adriano Bandeira, representante da União dos Policias do Brasil em Sergipe, afirmou que a discussão é necessária para a previdência. “Nós estamos dispostos a dar a nossa parcela de contribuição, a exemplo da idade mínima, mas somos contra a retirada de direitos já conquistados pela categoria, a exemplo da pensão vitalícia em caso o policial morra na sua atividade”, afirmou.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: