Kitty cobra explicações sobre orientação a agentes de endemias quanto a sacrifício

Kitty cobra explicações sobre orientação a agentes de endemias quanto a sacrifício
dezembro 10 04:53 2018 Imprimir Conteúdo

 

A vereadora Kitty Lima (Rede) esteve reunida com a secretária Municipal da Saúde (SMS), Waneska Barbosa, para buscar esclarecimentos sobre a denúncia de que agentes de saúde e endemias do município estariam sendo capacitados de forma totalmente equivocada quanto ao combate da leishmaniose por meio do sacrifício de animais infectados.

Pelo seu trabalho diário em contato direto com a população, os agentes passaram por uma capacitação onde puderam se aprofundar um pouco mais sobre os males que também envolvem a causa animal. O problema, de acordo com a parlamentar, é que os trabalhadores estariam sendo orientados erroneamente pela SMS quanto a uma das formas mais cruéis de combate à leishmaniose.

“Vim saber sobre o conteúdo dessa capacitação que foi dada aos agentes e cobrar da secretária um posicionamento sobre essa denúncia de que a Secretária Municipal da Saúde estaria orientando o sacrifício do animal infectado como uma das formas para erradicar a leishmaniose, quando na verdade sabemos que o cão é tão vítima quanto nós humanos e que, mesmo doentes, eles podem ser submetidos a um tratamento e curados. O problema está na falta de saneamento básico e limpeza urbana”, pontuou a vereadora.

No encontro, a secretária garantiu que esse tipo de orientação não faz parte da filosofia de trabalho da pasta e negou a veracidade da denúncia.

“Ela afastou a possibilidade de que essa denúncia seja verdadeira e reforçou que a castração vem sendo adotada pela prefeitura como uma das formas de combater o surgimento de novos casos de leishmaniose em Aracaju”, explicou Kitty, que disse que continuará fiscalizando as ações da prefeitura.

“Não podemos deixar que a cultura popular se perpetue e faça dos cães as vítimas de uma barbárie, de uma matança sem sentido. A população precisa cobrar a eficiência das políticas públicas que envolvem infraestrutura e a limpeza urbana, isso sim são os grandes vilões que contribuem para o crescimento de casos de leishmaniose em Aracaju”, pontuou.

Castramóvel

O castramóvel também esteve na pauta do encontro entre Kitty Lima e Waneska Barbosa. Na ocasião, a vereadora solicitou à secretária da Saúde que reabra o cadastramento dos animais para o processo de castração.

“O que acontece é que nem todos os tutores ficaram sabendo do prazo para fazer o cadastro, e com isso, muitos que queriam castrar seus animais ficaram de fora. Levei esse pedido, que na verdade é uma demanda da própria população, e esperamos que a Waneska entenda a importância dessa medida e possibilite que novos animais possam ser castrados”, disse Kitty.

Atualmente o veículo do castramóvel encontra-se no bairro Bugio, Zona Norte de Aracaju, onde a população de cães e gatos é considerada uma das maiores da capital.

Por Felipe Maceió

  Editoria: