Jogo por ser feito

Jogo por ser feito
junho 18 08:05 2020 Imprimir Conteúdo

O jogo da sucessão em Aracaju se iniciará mesmo pra valer depois das convenções. Só a partir daí os partidos começam a definir as coligações para o pleito deste ano. A pandemia da Covid-19 contribui ainda mais para que as legendas escondam o jogo por mais tempo. Portanto, até o final de julho as cartas seguem embaralhadas. Fazer qualquer prognóstico antes de as alianças serem fechadas será mero exercício de futurologia, sem muita serventia para os cientistas políticos. Vale lembrar as arrumações políticas de 2016, quando Valadares Filho (PSB) resolveu disputar a Prefeitura da capital horas depois de ter anunciado apoio à candidatura de Edvaldo Nogueira (PDT). Lembram? Portanto, analisar futuras coligações e, principalmente, as chances dos prefeituráveis só mesmo quando as cartas forem distribuídas aos participantes desse intrincado jogo político. Marminino!

Fundo dispensado

O PRTB do prefeiturável Almeida Lima abriu mão das verbas do Fundo Eleitoral para as eleições deste ano. A sigla, inclusive, já comunicou a renúncia da grana ao Tribunal Superior Eleitoral. Pré-candidato a prefeito de Aracaju, Almeida se disse favorável à posição do PRTB. Segundo ele, essa decisão decorre da vontade da direção nacional, após consulta aos estados: “Entendo que os tempos estão ‘bicudos’ e não se deve usar o dinheiro público em campanha eleitoral, sobretudo nesse momento de pandemia”, discursa o prefeiturável. Ah, bom!

Intervenção adiada

Um pedido de vista adiou a decisão sobre a intervenção na Prefeitura de Canindé do São Francisco. O voto do relator, desembargador Osório de Araújo Ramos Filho, foi para que o governo de Sergipe intervenha no município por 180 dias. Os desembargadores Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima, Elvira Maria de Almeida Silva, Iolanda Santos Guimarães, Diógenes Barreto e Luiz Mendonça já anteciparam seus votos favoráveis à intervenção. Luiz Mendonça, inclusive, disse que a situação da gestão de Canindé em termos de irregularidades “chega a ser uma pandemia”. Misericórdia!

Sentiu-se traído

Veja o que publica a coluna Radar, da revista Veja: “Aliados de André Moura (PSC), o chefe da Casa Civil de Wilson Witzel (PSC) demitido sem aviso prévio, dizem que o ex-deputado não cogita retornar ao governo do Rio para salvar seu antigo chefe do impeachment. Dias antes da demissão, Moura havia costurado um acordo político para livrar o governador de problemas no Legislativo. Traído pelo chefe, ele soube da queda pela imprensa e decidiu voltar a Sergipe. Depois da saída de Moura, o acordo foi para a gaveta e o processo de cassação só acelera desde então”. Crendeuspai!

Começa o relaxamento

A economia de Sergipe começa a reabrir nesta quinta-feira. Pelo decreto do governo estadual, podem voltar a funcionar as concessionárias de veículos; imobiliárias e similares; lojas de eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, equipamentos de áudio e vídeo; comércio de móveis; escritórios de arquitetura e engenharia. Um próximo passo será dado terça-feira da semana que vem. Resta rezar para que esse relaxamento da quarentena não contribua para a pandemia ampliar seu raio de ação. Oremos!

Quase 400 mortes

Desde o princípio da pandemia, a Covid-19 já matou 383 pessoas em Sergipe. Somente de terça-feira (16) para quinta (17) foram registrados 19 óbitos no estado, além de 497 novos casos da doença. 18 mortes estão sendo investigadas. Até agora, já foram infectadas pelo coronavírus no estado 16.807 pessoas, das quais 6.213 estão curadas. Só Jesus na causa!

Grana penhorada

E o senador Rogério Carvalho (PT) terá que reduzir suas despesas pessoais para fazer face à penhora de 30% do salário. O corte no subsídio do parlamentar foi determinado pelo desembargador Ruy Pinheiro, ao julgar processo relativo às dívidas de campanha e um empréstimo feito por Carvalho. Na decisão, o magistrado faz questão de frisar que, na condição de senador, Rogério “não sofrerá comprometimento de sua subsistência”. Então, tá!

Apareceu a margarida

A Polícia botou as mãos em Fabrício Queiroz, aquele sujeito acusado de organizar uma “rachadinha” com o dinheiro dos assessores do senador Flávio Bolsonaro. A prisão ocorreu, hoje, no interior de São Paulo. Segundo o Ministério Público, Queiroz estava escondido na casa do caseiro de um sítio no município de Atibaia. Vixe!

Outro infectado

O deputado estadual Adailton Martins (PSD) revelou, ontem, que também contraiu coronavírus, mas já está curado. Antes dele, a doença atingiu os deputados Luciano Bispo (MDB), Zezinho Sobral (PODE) e Ibraim Monteiro (PSC). No meio político de Sergipe também já testaram positivo para a Covid-19 a vice-governadora Eliane Aquino e o senador Rogério Carvalho – ambos do PT. Aff Maria!

Energia garantida

Os vereadores aracajuanos aprovaram, ontem, projeto proibindo a Energisa de cortar o fornecimento de energia dos imóveis com contas atrasadas. Pela proposta do vereador Américo de Deus (PSD), a empresa não pode promover corte de energia até o fim da pandemia da Covid-19. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Juvêncio Oliveira (PSD), deu parecer contrário à matéria, porém a maioria do plenário rejeitou a orientação do pessedista. Danôsse!

Recorte de jornal

Publicado no jornal A Estância, em 7 de dezembro de 1952.

  Editoria: