João Daniel visita manifestantes em greve de fome há oito dias e se solidariza com eles

João Daniel visita manifestantes em greve de fome há oito dias e se solidariza com eles
agosto 08 07:52 2018 Imprimir Conteúdo

Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, durante a sessão desta terça-feira, dia 7, o deputado federal João Lula Daniel (PT/SE) se solidarizou com os sete companheiros e companheiras que fazem greve de fome por justiça no Supremo Tribunal Federal (STF). Desde o dia 31 eles denunciam a parcialidade do Judiciário brasileiro na perseguição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, bem como também a volta da fome no país, desmonte de conquista dos trabalhadores, aumento da violência contra jovens, negros, LGBTs, aumento da pobreza no Brasil, entre tantos retrocessos ocorridos nos últimos dois anos.

Durante a tarde, o parlamentar visitou os grevistas e, em especial, levou apoio à sergipana Rafaela Alves, integrante do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). Ela registrou a alegria em estar recebendo a visita e contou que cada sergipano e cada companheiro que chega até cada um deles levando mensagem de apoio, de solidariedade e de estímulo é o que tem servido de alimento para sustentá-los. “As convicções que nos movem, são também as que estão movendo tanta gente nesse momento complexo de nosso país”, disse Rafaela, acrescentando que, mesmo em meio às dificuldades, é preciso encarar essa situação de cabeça erguida e usando das mais diversas formas de luta. “Momento extremos da história pedem ações extremas”, disse. Ao relembrar os motivos da greve, ela revelou que os grevistas estão responsabilizando o STF por esta greve e tudo que possa acontecer a qualquer um dos manifestantes.

No seu discurso feito na sessão da Câmara, João Daniel saudou homens e mulheres que estão nesta greve de fome: Vilmar Pacífico, Zonália Santos, Jaime Amorim (do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST), Rafaela Alves e Frei Sérgio Görgen, ambos do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA); Luiz Gonzaga, o Gegê (da Central dos Movimentos Populares – CMP) e Leonardo Soares (do Levante Popular da Juventude). “Essa greve é na defesa da democracia, do direito do presidente Lula ter um julgamento justo. Portanto, a luta dos movimentos sociais e sindical no Brasil, neste momento, é determinante para o futuro do Brasil e para as próximas gerações”, ressaltou João Daniel em discurso, ao saudar a Direção Nacional do MST, em nome da dirigente nacional em Sergipe, Gislene Reis, que se encontrava acompanhando a sessão.

Os sete participantes da greve de fome farão, nesta terça-feira, um pedido formal de audiência com os ministros do STF para apresentar as reivindicações dos movimentos populares e exigir uma resposta do Supremo. Nesse pedido de audiência, eles vão acompanhados por participantes da Caravana do Semiárido contra a Fome, que está em Brasília depois de percorrer mais de 4,3 mil km pelo país denunciando a volta do Brasil ao mapa da fome e o golpe contra a democracia.

Foto assessoria

Por Edjane Oliveira

  Editoria: