Intercâmbio durante curso superior incrementa currículo

Intercâmbio durante curso superior incrementa currículo
fevereiro 05 06:15 2019 Imprimir Conteúdo

Estudante de Sistemas de Informação, João Batista da Rocha Neto se prepara para conhecer a China, onde fará intercâmbio na área a fim de aprimorar a formação superior. No quinto período, ele acredita que a experiência, por meio do programa de Mobilidade Acadêmica da Universidade Tiradentes (Unit), fará diferença ao ingressar no mercado de trabalho.

“Estudar no exterior tem um peso bem grande na vida de todo profissional. É uma forma de ter um diferencial, de se destacar perante outros candidatos. Tenho certeza que esta experiência irá agregar positivamente na minha carreira profissional, devido a todo o conhecimento e habilidades que irei adquirir durante essa mobilidade acadêmica”, conta João, que será o primeiro aluno da Unit a participar do programa na China.

O programa de Mobilidade Acadêmica Internacional oferece opções de cursos em diversos países da América, África, Ásia e Europa. Semestralmente, são ofertadas bolsas por meio do Programa de Mobilidade Internacional (Promai) e do Top Espanha. Para participar, é preciso corresponder aos critérios do edital, como possuir 20% do curso e não responder a processo acadêmico.

Para o coordenador de Mobilidade da Universidade Tiradentes, Rafael de Moraes, a procura pela experiência internacional tem crescido porque é uma oportunidade de amadurecimento pessoal e profissional. “São vários os ganhos do aluno ao realizar mobilidade acadêmica internacional. Primeiramente, ele poderá cursar as disciplinas no exterior, conseguindo equivalência caso aprovado. Pode prender um novo idioma, conhecer culturas diferentes. Por fim, ter uma experiência morando só, fora da cidade, ajuda a pessoa crescer como indivíduo com todas as obrigações que isso acarreta”, acredita, informando que os países mais procurados são Portugal, Espanha e México.

O Promai oferta cursos de mobilidade para praticamente todos os cursos da Universidade. Somente alguns tecnólogos não são contemplados, como explica Rafael. “Isso acontece porque, quando fazemos a parceria, nem sempre a universidade terá curso equivalente ao da Unit. A gente busca diversificar”.

Quem tiver interesse em participar do Programa, assim como João, basta acessar os editais abertos no site www.grupotiradentes.com/international ou participar do evento sobre o tema no próximo dia 11, na sala 24 do bloco F, no Campus Farolândia, às 11 horas.

Para João Batista da Rocha, que embarcará para a Universidade de Ciências e Tecnologias de Macau, a estadia será agregadora.

“O mercado de trabalho de TI está cheio de bons profissionais e se faz necessário possuir competências que sejam destaques dentre os demais concorrentes. Também quero aprimorar minhas habilidades de um segundo idioma.  A china foi minha escolha porque é país que mais cresce no mundo, inclusive em tecnologia, e devido a esse fato eu decidi que seria uma ótima oportunidade interagir com as novidades tecnológicas que esse país tem a oferecer e aprender o máximo que puder durante esse semestre. Outro motivo que influenciou na minha escolha, é a minha curiosidade sobre a cultura asiática, os costumes, as comidas e a população. Acredito que irei agregar muito conhecimento vivendo essa experiência”.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: