Huse é contemplado com 28 kits de conversores

Huse é contemplado com 28 kits de conversores
julho 16 14:49 2018 Imprimir Conteúdo

O sinal analógico de Aracaju foi desligado no dia 30 de maio e, com isso, todos os televisores com sinais analógicos saíram do ar. No Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), isso não foi diferente, com a chegada do sinal digital, 28 televisores ficaram dependentes dos conversores para transformar o sinal de analógico para digital. A Seja Digital, entidade responsável pelo processo de digitalização do sinal de TV no país, visitou ONGs e hospitais públicos de Sergipe para a doação dos kits e o Huse foi um dos contemplados.

Os 28 kits digitais que contém antena específica e conversor foram entregues no hospital e que serão distribuídos nas Alas e setores que foram cadastrados. De acordo com o diretor administrativo do Huse, Daniel Castro, essa é uma iniciativa positiva que vai garantir som e imagem digital.

“A Seja Digital foi muito parceira e fez um contato com o hospital, logo em seguida veio in loco verificar quantos aparelhos necessitavam do KIT. Agora teremos som e imagem digital em televisores analógicos que temos distribuídos em todo o hospital. Vamos nos organizar para realizar o mais breve possível as instalações dos kits”, informou.

Sinal analógico e digital

Para entender melhor a diferença entre sinal analógico e digital, é necessário entender como as imagens são geradas pelas emissoras e recebidas nas residências. Isso acontece através de ondas eletromagnéticas contínuas, depois que o sinal sai da torre e percorre o espaço. Essas ondas sofrem interferência das condições climáticas e de qualquer barreira que tenha pela frente.

Na transmissão analógica, são utilizadas ondas eletromagnéticas contínuas, análogas aos sinais originais. Já na transmissão digital é utilizada uma corrente de bits, em código binário, formado de zeros e uns, ou seja, a mesma linguagem digital dos computadores, dos CDs, DVDs e do celular. A tecnologia digital converte tudo em bits (sons, imagens, fotos, gráficos, textos e vídeos).

Por Maira Ribeiro

Foto assessoria

  Editoria: