“A gente precisa de respeito em qualquer lugar, no trabalho, na rua, no ônibus”, afirma Emília Corrêa

“A gente precisa de respeito em qualquer lugar, no trabalho, na rua, no ônibus”, afirma Emília Corrêa
setembro 21 11:10 2018 Imprimir Conteúdo

 

Diante do registro de mais um caso de assédio em Aracaju, desta vez dentro de um ônibus do transporte coletivo, a vereadora e defensora pública Emília Corrêa (Patriota) destacou a necessidade de se tratar com mais atenção casos como esse e procurar ações mais eficazes para combater a violência contra mulher, cada vez mais crescente em Sergipe.

“Infelizmente é mais uma notícia triste, mas que infelizmente tem acontecido com muita frequência. São homens doentes, porque não tem como isso ser normal, que se sentem no direito de violar o espaço das mulheres e muitas chegam até nós relatando o medo que sentem de andar de ônibus. A gente precisa de respeito em qualquer lugar, no trabalho, na rua, no ônibus e os homens precisam entender que isso não pode continuar acontecendo”, disse.

Emília falou ainda da superlotação dos ônibus na capital, fato que cria oportunidade para o que chamou de “doentes” agirem com desrespeito ao corpo feminino. “Uma coisa que é usada como oportunismo para que isso aconteça são os ônibus lotados, superlotados, parecendo latas de sardinha, ali o povo vai espremido e esses doentes aproveitam. É uma coisa que não deveria existir, alguma coisa deveria ser feita para que nem houvesse pessoas em pé dentro dos ônibus porque é arriscado, extremamente perigoso em caso de freadas bruscas o que é também uma falta de respeito com a vida das pessoas”, pontuou.

Ascom

  Editoria: