Fisioterapeuta fala sobre importância do trabalho na recuperação do paciente Covid-19

Fisioterapeuta fala sobre importância do trabalho na recuperação do paciente Covid-19
agosto 18 12:55 2020 Imprimir Conteúdo

O profissional atua para evitar complicações cardiorrespiratórias em indivíduos internados, bem como para recuperar a capacidade pulmonar e motora daqueles que foram curados

Entre as diversas especialidades médicas fundamentais à recuperação do paciente Covid-19 internado nas unidades da Rede Estadual de Saúde está o fisioterapeuta. Isso porque, a infecção compromete algumas áreas importantes do corpo como a pulmonar e muscular, como revela a Referência Técnica em Fisioterapia do Hospital Regional de Estância, Maria Odete Costa Oliveira. A função do profissional é atuar para evitar complicações cardiorrespiratórias em indivíduos internados, bem como para recuperar a capacidade pulmonar e motora daqueles que foram curados.

Ela destaca que a Covid-19 compromete algumas áreas fundamentais do pulmão e dos músculos. E, por isso, nas internações o trabalho do fisioterapeuta começa com os primeiros cuidados com a administração de oxigênio, na assistência em intervenções envolvendo intubação, ventilação mecânica e mudança de decúbito (mudança da posição do corpo para evitar pressão prolongada nas áreas que ficam contra a superfície do leito), e inclui ainda procedimentos para remoção de secreção brônquica e melhora da função respiratória.

“O pulmão infectado pela Covid-19 pode apresentar limitações respiratórias que muitas vezes exige ventilação mecânica ou suporte de oxigênio, bem como exercícios para melhorar a capacidade pulmonar”, enfatizou a fisioterapeuta, reforçando que os recursos ventilatórios melhoram a capacidade pulmonar e favorece o fortalecimento muscular, já que a patologia debilita a saúde do paciente, associando a isso o tempo de internação.

As lesões pulmonares mais comuns em pacientes infectados pela Covid-19 são, segundo a fisioterapeuta, a Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA) grave, que apresenta um pulmão com opacidade de vidro fosco, a perda funcional da musculatura respiratória e processos infecciosos como a pneumonia. Na parte muscular, a doença leva à perda de força muscular e à Sarcopenia (perda da massa magra do músculo).

Maria Odete Oliveira salientou que na assistência pós-hospitalar, o fisioterapeuta é responsável por indicar exercícios e procedimentos terapêuticos para fortalecer a musculatura respiratória e periférica de quem está se recuperando em casa e para quem acabou de sair de uma UTI.

Fonte e foto SES

  Editoria: