Festival de Barzinhos viabiliza circulação da produção musical aracajuana

fevereiro 01 06:27 2021 Imprimir Conteúdo

 

De Norte à Sul de Aracaju, do MPB ao sertanejo. O fim de semana na capital sergipana foi preenchido com muita música, repertório diversificado e fomento às cadeias da cultura, arte e comércio. Tudo isso graças ao Festival Itinerante de Barzinhos, projeto executado pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), com artistas premiados no edital Janelas para as Artes, da Lei Aldir Blanc.

A programação da semana se encerrou neste domingo, 31, com o show de Isis Nataly, na Casa da Praia Lounge Bar, localizada na rodovia Inácio Barbosa. Turistas e aracajuanos puderam unir, num só local, dois dos melhores atrativos de Aracaju: praia e música. Para Isis, a apresentação deste domingo teve um gostinho especial. “Eu só tenho a agradecer a Funcaju pela organização, por essa parceria de sempre, pela prestatividade e agilidade no pagamento e no agendamento das nossas apresentações. É especial ter sido contemplada pela Lei Aldir Blanc”, destacou a cantora.

O repertório da artista animou o bar e atraiu quem passava pelo local. O impacto do Festival Itinerante de Barzinhos tem sido notório por onde ele passa. “Depois de tudo que passamos e ainda estamos passando com essa pandemia, é muito importante para os donos de bares e artistas esse incentivo. O projeto acaba movimentando os setores da cultura, turismo, comércio, e são cadeias que surtem efeitos em outros ramos. Estou muito feliz de receber o evento aqui”, enalteceu a proprietária do bar Casa da Praia, Nataly Araújo.

O diretor de Eventos da Funcaju, Fernando Montalvão, ressaltou o sucesso do projeto. “Os artistas passaram quase um ano fora da cena, e a Lei Aldir Blanc veio para dar um reforço a essa categoria e aos donos dos estabelecimentos, sempre cumprindo todos os protocolos definidos por decreto para evitar o contágio do coronavírus. Estamos na expectativa de estender esse projeto até a primeira semana de fevereiro”, informou.

Se o domingo já foi agitado, o sábado, 30, também não deixou a desejar. A instabilidade climática provocou o reagendamento de duas apresentações da noite de FIB, mas outros três locais tiveram eventos do Festival. O cantor Geovan Rezende abriu a noite no Boteco da Feira, localizado na Feira do Turista, na Orla da Atalaia. “Essa parceria entre Funcaju e Lei Aldir Blanc me deixou bastante feliz, pois veio, de maneira importantíssima, para somar com os artistas e estabelecimentos afetados pela pandemia e, consequentemente, com a cadeia produtiva da música aracajuana”, frisou o cantor.

No decorrer da noite de sábado, os artistas Jayana e Ários Maia se apresentaram no Alma Bistrot, no bairro Coroa do Meio, e Tribus Cult, situado no Bairro Industrial, respectivamente. Para o proprietário do Alma Bistrot, François Ozanne, o FIB tem sido uma oportunidade de unir artista e público. “Essa iniciativa tem permitido aos bares e restaurantes promover essa reaproximação entre artista e público, tão afetadas pelo isolamento social provocado pelo novo coronavírus. Voltar a ativa é muito para mim, para os artistas, e eu estou muito feliz por fazer parte desse projeto”, pontuou o empresário.

A Programação do FIB contou ainda com apresentações na quarta-feira, 27, e na sexta-feira, 29. Sete músicos se apresentaram pelo Festival ao longo da programação da semana e dois tiveram seus shows adiados. As datas serão divulgadas em breve.

Ao todo, 40 estabelecimentos como bares, pubs, cafés e restaurantes foram selecionados para receber 50 atrações premiadas pela Lei Aldir Blanc, contemplando com até duas apresentações durante o festival.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: