Família de jovem morto em ação policial divulga nota de repúdio

Família de jovem morto em ação policial divulga nota de repúdio
outubro 09 11:03 2019 Imprimir Conteúdo

Familiares do jovem Micael Nunes de Almeida, que morreu durante uma ação policial para prender integrantes de uma suposta quadrilha que estaria planejando um assalto ao Banco do Brasil de Nossa Senhora da Glória, no dia 20 de setembro, lançou uma nota de repúdio.

A família de MICAEL NUNES DE ALMEIDA (in memoriam), morto no dia 20 de setembro de 2019, vem a público esclarecer e questionar as informações divulgadas por sites e redes sociais que informaram que Micael Nunes de Almeida seria um ex-presidiário e assaltante de bancos, tendo sido morto pela policia, após revide do mesmo.

Iniciantemente, é necessário frisar que o Micael nunca esteve preso, jamais podendo ser chamado de presidiário ou ex-presidiário, nem mesmo procurado pela policia.

Ademais, importante salientar que nunca se dedicou a prática de crimes. Pelo contrário, dedicou sua vida ao trabalho e a família, tendo residência fixa, sendo primário e possuidor de bons antecedentes.

Para demonstrar seu comprometimento com o trabalho, relataremos sua vida laboral:

Ao completar 18 anos, ingressou na Indústria Construtores e Montagens Ingelec S.A – Incomisa, corno ajudante geral, vigendo o contrato de 02.09.2013 a 06.01.2014.

Entre 17.01.2014 e 01.08.2014, manteve contrato de trabalho corn a Tabocas Participações e Empreendimentos S.A, corno oficial montador.

De 27.10.2014 a 13.01.2015, trabalhou na Mavi Engenharia e Construções LTDA, no cargo de Montador 1.

Na I.G. Transmissão e Distribuição de Energia, manteve contrato de trabalho entre 21.01.2015 e 14.06.2015, corno Montador.

Novamente manteve contrato de trabalho com Tabocas Participações e Empreendimentos S.A., dessa vez no cargo de Montador IV, no período compreendido entre 18.09.2015 e 16.12.2015.

Entre 15.01.2016 e 19.09.2016, laborou outra vez na Industria Construções e Montagens Ingelec S.A – Incomisa, no cargo de Montador Especializado.

De 21.03.2017 a 01.03.2018, trabalhou na SAE Towers Brasil Torres de Transmissão, exercendo a função de Montador IV.

Antes de sua morte, estava trabalhando junto à empresa Cobra Brasil Serviços Comunicações e Energia S.A, no cargo de Encarregado, em que fora admitido em 20.08.2018.

Assim, Micael não se dedicava ao mundo do crime, como erroneamente divulgado por sites e redes sociais.

De mais a mais, Micael tinha acabado de chegar em sua terra natal, Nossa Senhora da Gloria, visto que o mesmo estava trabalhando no Estado do Ceará, sendo morto em seu primeiro dia de folga, sem ao menos conseguir rever sua família, inclusive seu filho de 1 ano e 11 meses.

Por fim, a família, indignada com tamanha tragédia, questiona os órgãos responsáveis:

  1. a) 0 inquérito policial instaurado para apurar a morte de Micael Nunes de Almeida já fora finalizado?
  2. b) Qual a conclusão do referido inquérito?
  3. c) Quais são as provas de que Micael participava, corno sugerido, do grupo que pretendia explodir o Banco do Brasil de Nossa Senhora da Glória?
  4. d) Quais provas existem que Micael se dedicava ao crime?

Família de Micael Nunes de Almeida

Por Pingou Noticias

  Editoria: