Estudantes acreditam que participação na política é fundamental

Estudantes acreditam que participação na política é fundamental
setembro 18 15:02 2018 Imprimir Conteúdo

A participação dos jovens na política ainda é pequena. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, em 2018, o número de eleitores entre 16 e 18 anos sofreu uma redução de 3% se comparado à eleição de 2014. Para o jovem Ben-Hur Machado Farias, não basta ter título de eleitor, é preciso ser atuante na política. Ele é um dos estudantes do primeiro ano do Instituto Federal de Sergipe que visitaram a Assembleia Legislativa de Sergipe promovida pela Escola do Legislativo.

Ben-Hur Machado acredita que, ao participar da política, o cidadão constroe um senso crítico apurado. “O que acontece hoje é uma onda de informações fantasiosas sobre a política. É preciso que, nós, jovens, assim como todo cidadão, tenhamos um maior conhecimento sobre tudo que diz respeito à política. Isso evita que sejamos induzidos por pessoas que as vezes estão com outras intenções. Além disso, para a construção do pensamento, é fundamental essa participação”, disse o estudante.

Para o diretor da Escola do Legislativo, Humberto de Oliveira, o objetivo da visita é exatamente esse: incentivar a inserção do jovem na política. “Trazer os alunos aqui é mais do que apenas mostrar o trabalho dos deputados. É provocá-los para a importância dessa participação seja no município, no estado ou no país. Isso é de extrema importância para o futuro do Brasil”, disse Humberto.

A estudante Mayane Laise também visitou a Alese. Para ela, isso mostra o quanto é importante a participação da mulher na política. “Percebi que em Sergipe só temos três deputadas. Hoje somos maioria da população, mas ainda temos pouquíssima voz. Atualmente percebemos temas polêmicos, como é o caso do direito ao aborto, sendo discutido por uma maioria masculina. Isso não deveria ser assim. O lugar da mulher é na política”, enfatizou a jovem.

O professor Alyson Rocha do Instituto Federal de Sergipe entende que, promover um momento como este, é garantir um futuro com cidadãos com uma visão mais ampla sobre a política. “Muito se critica os políticos de nosso país. Mas quantos de nós acompanhamos as atividades daqueles que elegemos? Trazer os alunos é construir uma sociedade mais atenta aos acontecimentos e criar, no futuro, cidadãos com maior capacidade de questionar as decisões daqueles que elegemos”, disse o professor.

Texto e foto por Júnior Ventura

 

  Editoria: