“Estão roubando o Ipes e matando os servidores”, diz cabo Amintas

“Estão roubando o Ipes e matando os servidores”, diz cabo Amintas
maio 24 10:13 2018 Imprimir Conteúdo

Por Diego Rios

O vereador e líder da oposição Cabo Amintas (PTB) utilizou a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), para criticar o descaso do Ipes com seus contribuintes.

O parlamentar iniciou seu discurso falando sobre a falta de comprometimento do Ipes com o bom atendimento aos enfermos. “Imagine você 30 anos pagando ao Ipes, e na hora que mais precisa, eles pegam a criança que está passando mal e mandam para ser atendida pelo SUS no Hospital Santa Isabel”, disse Amintas, explicando o drama do policial militar Jadilson Almeida, que com seu filho doente, dirigiu-se ao Hospital da Polícia Militar (HPM). Chegando lá, após ser informado da falta de pediatras na unidade, foi aconselhado a levar o filho ao Hospital Santa Isabel.

Ainda durante seu espaço na Tribuna, Cabo Amintas exibiu uma reportagem feita pelo programa Balanço Geral, da TV Atalaia, em que o policial Jadilson afirmou ter gasto cerca de mil reais entre consultas e internamento do filho em um hospital particular da capital. “Imaginem esse pai desesperado me ligando domingo, um pai que não sabia o que fazer vendo o filho daquele jeito. As pessoas pagam a vida inteira e na hora em que o filho está na beira da morte, é mandado para o SUS. Nós sabemos como é a pediatria do Santa Isabel. Não existe estrutura nenhuma! Se os deputados estaduais desse estado tivessem vergonha na cara já estariam investigando o Ipes, que serviu a vida inteira como trampolim político e arrecadou muito dinheiro”, afirmou Cabo Amintas.

O parlamentar também ressaltou a importância do ressarcimento ao policial militar que desembolsou mil reais para o tratamento do filho. Diante desse fato, Amintas afirmou que entraria na justiça para que ele fosse reembolsado.

Concluindo sua fala, o vereador deixou seu recado fazendo uma reflexão sobre o momento do Ipes. “Há poucos dias atrás foi publicada a foto de um servidor público nas redes sociais. Esse servidor era um policial militar que usava fraldas descartáveis e pedia socorro enquanto morria na Urgência do Ipes. Ele morreu ali. Quantos mais estão morrendo? Quantos mais estão perdendo a vida enquanto ninguém faz nada? Sabe porquê? Porque quem pode fazer tem dinheiro pra pagar hospital. Quem pode fazer tem medo de que o nome esteja envolvido em desvio de dinheiro dentro daquele Ipes. Não tem outra explicação. Estão roubando o Ipes e matando os servidores públicos”, finalizou.

Foto Gilton Rosas

  Editoria: