Escolinha de futebol do Santa Maria, criada há mais de 20 anos, pode acabar

Escolinha de futebol do Santa Maria, criada há mais de 20 anos, pode acabar
novembro 02 09:09 2018 Imprimir Conteúdo

Ação movida por um ex-tesoureiro da associação pode acabar com o sonho de milhares de crianças de um dia integrar uma grande equipe

A escolinha de futebol Comunidade Desportiva 7 de Setembro, corre o risco de acabar por conta de uma ação judicial movida pelo ex-tesoureiro da associação que entrou com uma ação de usucapião da área do campo de futebol e da administração, localizada em uma área de invasão.

Na manhã desta sexta-feira (02), o presidente da associação, Cícero Lino da Silva, concedeu entrevista ao radialista Alex Carvalho, no Comando Geral da Rádio Jornal 540, e fez uma explanação da situação, onde ele relata que o ex-tesoureiro teria conseguido na justiça, o direito de posse mas que o advogado da CD 7 de setembro já tinha recorrido da decisão.

Cícero disse durante sua entrevista que lamenta que isso esteja ocorrendo e que cerca de 150 crianças que praticam atividades esportivas, poderão ficar desamparadas. “É lamentável que isso esteja ocorrendo. Nós aqui atendemos e damos assistência a crianças e inclusive daqui já saiu nomes famosos em nosso esporte, a exemplo de Ítalo do Confiança e Dedé do Bahia”, lamentou o presidente.

Ainda segundo Cícero, há um controle rígido para que essas crianças frequentem a escolinha. “Primeiro quero explicar que os pais dessas crianças também lamentam o que está ocorrendo, afinal eles podem ir para o trabalho sabendo que seus filhos estão sendo atendidos por pessoas capacitadas e não correm o risco de ingressar no mundo das drogas. A criança que estuda no período da manhã, vem para a escolinha à tarde e quem estuda à tarde, frequenta no período da manhã e agora corremos o risco de ter que interromper esse trabalho”, lamentou.

Entenda o caso – a pessoa que entrou com o pedido de usucapião, entrou com a ação em 2014, após passar 4 anos (2010 a 2014) exercendo a função de tesoureiro.

Nesta semana, os dirigentes foram surpreendidos com a decisão judicial dando ganho de causa ao ex-tesoureiro, e portanto, o direito de assumir a área.

Nesta quinta-feira (01) a direção da escolinha acionou a sua assessoria jurídica e de imediato reuniu todos os documentos para contestar na justiça, a decisão.

Foto Alex Carvalho

Munir Darrage

 

  Editoria: