Envolvimento do Governo  marca história da Fábrica de Fertilizantes em Sergipe

maio 02 16:05 2022

 

Posicionando-se em prol da manutenção da unidade e promovendo diálogo em busca da retomada, Governo mostrou-se importante agente rumo ao sucesso da atual Unigel Agro SE

Em pleno funcionamento e em vias de expansão, a Unigel Agro SE, antiga Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen), é um dos marcos para o setor em Sergipe e no Brasil. Ao longo de toda a trajetória da unidade sergipana, desde o anúncio da hibernação até o retorno do seu funcionamento, o Governo do Estado posicionou-se em prol de sua manutenção, viabilizando e incentivando os diálogos para a sua continuidade.

Operada pela Petrobras, a Fafen, localizada no município de Laranjeiras, foi hibernada em janeiro de 2019. Antes da decisão da companhia, comunicada em março de 2018, a administração estadual procurou novas vias para reverter a situação. Em 27 de março, o Governo do Estado conseguiu, junto à Petrobras, um prazo de 120 dias para apresentação de alternativas para a manutenção da fábrica.

O Governo também esteve à frente de diversas rodadas de negociação com a presença de órgãos federais, procurando soluções e promovendo debates. Buscando o apoio de lideranças, o governador Belivaldo Chagas contou com a participação do ex-governador Albano Franco nas mediações, estabelecendo a ponte com o Governo Federal e com o então presidente Michel Temer. Meses depois, Belivaldo, também reuniu-se com o presidente Jair Bolsonaro e com o vice, Hamilton Mourão, solicitando auxílio no tratamento da questão.

Após a hibernação, a administração estadual conduziu as tratativas para a reativação, participando de reuniões em Brasília junto à Petrobras e à Secretaria de Petróleo, Gás e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME). Em abril de 2019, o Governo chegou a conseguir uma liminar para suspender a hibernação da fábrica, que foi revertida posteriormente. No mesmo mês, foi aberta pela Petrobras a licitação para o processo de arrendamento das Fafens de Sergipe e da Bahia, que culminou na assinatura de contrato junto ao Grupo Unigel em novembro daquele ano.

“Já vínhamos nos articulando em prol da Fafen e em 2019 intensificamos ainda mais este trabalho. Buscamos de todas as formas que nos cabia, enquanto Governo do Estado,  dialogar com a Petrobras e encontrar soluções para que a fábrica não fosse hibernada. Infelizmente não obtivemos sucesso naquele momento, mas continuamos focados em encontrar uma solução para o grande problema que o fechamento da Fafen representava”, lembra o secretário José Augusto Carvalho.

Articulação

Em janeiro de 2020, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), mediou o encontro entre Unigel, Centrais Elétricas de Sergipe (Celse) e Sergas, visando parcerias futuras. Também por intermédio da Sedetec, em maio do mesmo ano, o Conselho de Desenvolvimento Industrial de Sergipe (CDI) deliberou a concessão de apoio fiscal para retomada da fábrica de fertilizantes.

Meses depois, em agosto, foi celebrada a transmissão de posse da fábrica para o Grupo Unigel. Foi iniciado, ainda, o recrutamento para atuação na unidade. Este processo foi acompanhado de perto pelo Governo de Sergipe, que solicitou à direção que fosse priorizada a mão de obra local. No mesmo sentido, o Governo direcionou a contratação de fornecedores sergipanos, a fim de garantir a geração de emprego e renda para o Estado.

Em abril de 2021, após meses de preparação, a Unigel Agro SE retomou a produção de ureia em Sergipe, em fase de testes. Em agosto do mesmo ano, foi, então, inaugurada a fábrica. Hoje, a planta mantém uma produção anual de 650 mil toneladas de ureia e 450 mil de amônia. O quantitativo representa um grande aporte em busca da soberania nacional em relação ao suprimento de fertilizantes, já que o Brasil é dependente em mais de 85% de insumos importados.

“Quando conhecemos a diretoria da Unigel e iniciamos os diálogos para retomada da fábrica, nos colocamos à disposição do grupo para fazer o que fosse possível e garantir a reabertura daquela planta. Contamos com auxílio fundamental do deputado federal por Sergipe, Laércio Oliveira, além de gestores baianos, que passavam pelo mesmo problema e buscavam também a reativação da planta de Camaçari, também arrendada pela Unigel. Felizmente obtivemos sucesso e hoje vemos a Unigel Agro SE produzindo e auxiliando o país em um momento tão peculiar da geopolítica mundial, como o que estamos vivendo”, completa o titular da Sedetec, José Augusto Carvalho.

Futuro

Recentemente, já em abril de 2022, o Grupo Unigel e o Governo de Sergipe assinaram um protocolo de intenções voltado à retomada da produção da planta de sulfato de amônio localizada na Unigel Agro SE, com previsão para o primeiro semestre de 2023. A unidade de sulfato de amônio encontra-se hibernada desde julho de 2017. Sua capacidade de produção é da ordem de 300 mil toneladas por ano. Para reativar a planta, estima-se um investimento em torno de R$ 30 milhões.

Entre as condições previstas no protocolo está a contratação prioritária de mão de obra e fornecedores locais, assim como o treinamento e capacitação de funcionários especializados. O protocolo tem prazo de vigência de três anos a partir da assinatura, com possibilidade de prorrogação mediante termo aditivo.

Foto: Arthuro Paganini/ Sedetec

  Editoria: