Empresa sergipana investe em tecnologia para melhorar processo produtivo

Empresa sergipana investe em tecnologia para melhorar processo produtivo
setembro 29 08:10 2018 Imprimir Conteúdo

Por Marquezan Araújo

Com a Indústria 4.0 cada vez mais presente no Brasil, as empresas nacionais precisam se reinventar para aderir a esse novo modelo de produção. Algumas já começaram a caminhada em busca da modernização.

Em Sergipe, por exemplo, a empresária Juliana Gusmão já começou a fazer parte de um projeto que prepara empresas para a quarta revolução industrial. A empresa dela é de água mineral e conta com 45 funcionários.

Ainda passando pela fase de implantação do projeto, Juliana se diz otimista e espera melhorar a qualidade do serviço. “A gente vai implantar um software que nos dará um controle de tudo o que se passa na produção, desde uma falha na máquina à minha produtividade diária”, conta.

Juliana relata também que já participou de outro projeto, que seria a primeira fase do que ela faz parte atualmente. “Esse que eu estou fazendo agora é continuidade de outro do ano passado. A gente sentiu sim [a diferença]. A gente fez mudanças na produção e a gente sentiu melhora na produtividade e até na qualidade.”

O projeto mencionado é o Indústria Mais Avançada, coordenado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), e que atende 56 empresas em todo o país. De acordo com o interlocutor de Educação à Distância e Tecnologias Educacionais do SENAI-SE, Marco Antônio Pacheco, o programa atende companhias de todos os portes.

O especialista explica ainda que ideia inicial é espalhar sensores pela fábrica, o que vai facilitar o acompanhamento em tempo real da produção. “Imagine os sensores coletando informações e esses equipamentos interconectados permitindo uma melhor apuração dos dados. Isso vai chegar de forma organizada para os gestores”, afirmou.

As principais tecnologias envolvidas na Indústria 4.0 são: robótica avançada, manufatura híbrida, big data, impressão 3D, computação em nuvem, inteligência artificial, sistemas de simulação virtual e internet das coisas.

Tecnologias 4.0

Outros projetos

A chegada do movimento 4.0 no Brasil implica na necessidade de implementação das tecnologias digitais na maneira do produzir. Por isso, além do programa Indústria Mais Avançada, as pequenas e médias empresas também têm a opção de conhecer outros projetos. O Brasil Mais Produtivo (B+P) é um deles.

O programa também oferece consultoria para introduzir técnicas da Manufatura Avançada/Indústria 4.0 a pequenas e médias empresas brasileiras. O programa, já atendeu três mil empresas de todas as regiões brasileiras.

Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), as empresas que participaram, em 2017, alcançaram um aumento médio de produtividade de 52,09% nas linhas de produção.

Outra forma de os empresários ficarem por dentro dos novos modelos de produção é participando do Senai 4.0. O projeto disponibiliza uma série de soluções e serviços relacionados à Indústria 4.0.O trabalho é estruturado em três fases. A primeira consiste na difusão dos conceitos através de encontros presenciais e cursos gratuitos. Nessa etapa, a ideia é possibilitar o melhor entendimento das oportunidades de melhorias.

O próximo passo se refere à construção de um plano de ação com uma trajetória objetiva de utilização dos conceitos e tecnologias da Indústria 4.0. Já na última fase, o SENAI oferece espaços para as empresas terem acesso à informação e ambientes neutros para realização de testes e compartilhamento dos resultados.

Propostas da indústria

Diante da necessidade de os avanços tecnológicos da Indústria 4.0, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) encaminhou uma série de propostas aos candidatos à presidência da República.

O documento contém medidas de apoio à modernização industrial e aplicação de novas tecnologias digitais no dia a dia das empresas. O objetivo é melhorar a infraestrutura de telecomunicação e desenvolvimento de estratégias para a formação e qualificação profissional. As propostas fazem parte do documento Propostas da Indústria para as Eleições.

Fonte Agencia do Rádio Mais

  Editoria: