Em três anos, Sergipe reduz 41,3% dos homicídios e preserva 1.074 vidas

Em três anos, Sergipe reduz 41,3% dos homicídios e preserva 1.074 vidas
janeiro 14 10:36 2020 Imprimir Conteúdo

 

Em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (14), a Secretaria da Segurança Pública apresentou os dados referentes a redução de homicídios em Sergipe no ano passado. Em três anos, foi registrada uma redução de 41,3% na incidência de homicídios em todo o estado. Apenas na capital, essa redução foi de 58,9%. O resultado representou ainda a preservação de 1.074 vidas. Os dados positivos são fruto do trabalho integrado entre as instituições que formam a SSP.

De acordo com o levantamento realizado pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim), no tocante aos chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – como homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte -, o estado registrou 799 casos em 2019. No ano anterior, 2018, esse número foi de 986, representando uma redução de 19%. Já quando o comparativo é feito em relação a 2016, ano em que os índices aumentaram, a queda obtida em relação a 2019 é de 41,1%.

O comandante da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral, enfatizou que os resultados são positivos e que o trabalho integrado entre todas as instituições que formam a SSP é fundamental para a constante redução dos índices de crimes violentos em todo o estado de Sergipe.

“Esse trabalho precisa continuar porque os resultados estão aparecendo e é importante que continuemos nessas operações e abordagens, no trabalho integrado. Cada ano que passa estamos competindo com nosso próprio trabalho, o que torna a situação mais difícil, mas tenho certeza que, com esse espírito de reinvenção, nós vamos conseguir passar para a sociedade a sensação de segurança. Nós queremos que as pessoas realmente reconheçam que estamos em um estado mais seguro do que em tempos anteriores”, pontuou.

A delegada geral, Katarina Feitoza, ressaltou a importância dos investimentos em pessoal e material para a redução da ocorrência desses crimes no estado. “Nós temos um trabalho integrado, e justificamos a redução nesse trabalho que é conduzido e capitaneado pelo secretário de segurança pública. O Governo do Estado vem investindo na segurança pública e todo esse investimento trazem esses resultados apresentados. Já são três anos consecutivos de redução. Em três anos nós tivemos 1.074 vidas preservadas, a redução em comparação a 2016 é nítida. Nós passamos o patamar 53 homicídios por 100 mil habitantes para 33 homicídios, isso tudo é fruto desse trabalho integrado”, frisou.

Um importante fator do combate à violência também é o trabalho da perícia, assim como destacou o coordenador geral de perícias, Nestor Barros. “A Cogerp eficazmente passou a participar do grupo de gestão operacional da SSP em todas as reuniões. Embora pareça que a perícia só chega após o crime não é bem assim. Nossos Institutos de Criminalística (IC), Análise e Pesquisas Forenses (IAPF), Instituto de Identificação e IML muitas vezes conseguem se antecipar ao crime”, citou.

Homicídios em queda

Mais especificamente entre os tipos de crimes, quando o recorte são os homicídios, foram contabilizados 767 casos no ano passado, ao passo em que em 2018 esse número foi de 948 ocorrências; representando uma redução de 19,1%. Em relação a 2016, ano em que a quantidade de registros desse tipo de crime foi de 1.306, a CEACrim observou uma queda de 41,3%. Apenas na capital, os números foram 414 (2016), 327 (2017), 281 (2018) e 170 (2019), o que significa uma retração de 58,9% entre 2016 e 2019.

Ainda nos índices referentes aos homicídios, nas demais cidades que formam a Região Metropolitana (Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão), o levantamento da CEACrim apresentou uma queda de 22,2% entre os números obtidos em 2019 e 2018. No ano passado, foram 144 casos, ao passo de que no ano anterior, as ocorrências dessa ação criminosa somaram 185 homicídios. Em análise com o ano de 2016, em que a quantidade de registros foi de 272, foi observada uma retração de 47,1%.

No interior do estado, os dados levantados pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim) revelaram que no ano de 2016 as instituições que formam a SSP contabilizaram 619 casos. Já em 2017 e 2018, os dados apresentaram queda ao serem observados os números de 532 e 480 ocorrências, respectivamente. Em relação a 2019, houve uma retração para 453 homicídios. Esses dados demonstram reduções consecutivas de 26,8% (entre 2016 e 2019), de 14,8% (2017 e 2019), e de 5,6% (2018 e 2019).

O diretor da CEACrim, Sidney Teles, detalhou as reduções que vem ocorrendo anualmente. “Nosso melhor mês foi o de agosto e o nosso pior, novembro. Tivemos uma média mensal de 64 casos de homicídios dolosos em 2019. Em nenhum mês nós passamos do número de 100, o que em 2016 acabou sendo um marco para nós, todo mês passávamos de 100 casos. Em 2019, tivemos uma média diária de mais ou menos dois casos por dia. É um marco histórico de redução por três anos seguidos. Desde que temos catalogados, isso não havia acontecido antes”, pontuou.

Latrocínios também reduzem

O levantamento feito pela CEACrim observou ainda uma redução na incidência de latrocínios – roubos que tem como consequência a morte da vítima. Em todo o estado, enquanto no ano de 2016 foram registrados 49 casos, com um aumento para 58 em 2017, seguido de uma redução para 32, em 2018; o ano de 2019 contabilizou 28 ocorrências desse tipo. Esses dados representam uma redução de 12,5% entre 2019 e 2018; e uma queda de 51,7% em relação aos anos de 2019 e 2017.

As informações e foto são da SSP

  Editoria: