Em março, as sergipanas treinarão defesa pessoal de graça

Em março, as sergipanas treinarão defesa pessoal de graça
março 01 13:53 2018 Imprimir Conteúdo

Em comemoração ao Mês da Mulher, em todo o Brasil, serão realizadas aulas especialmente desenvolvidas para que elas conheçam a defesa pessoal israelense e percebam que é possível se defender, mesmo de agressores maiores e mais fortes

Durante o mês de março, em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Federação Sul Americana de Krav Maga vai realizar, em todo o Brasil, aulas especialmente voltadas para elas. O objetivo é mostrar que a defesa pessoal israelense é eficiente para que as mulheres estejam mais atentas no seu dia a dia e que é possível se defenderem em qualquer situação, mesmo contra agressores maiores ou mais fortes.

Durante o mês, a programação será a mesma para todas as academias credenciadas pela Federação no Brasil, Argentina e México. Os exercícios vão simular os tipos de ataques mais frequentes para elas – roubo de bolsa, agressão, puxão pelo braço ou pelo cabelo, enforcamento, estupro, entre outros.

As mulheres interessadas, que devem ter 14 anos ou mais, deverão obter um convite para um mês de treinamento gratuito na academia mais próxima (verificar as possibilidades de academias credenciadas no www.kravmaga.com.br ). Já no dia 11 de março, o treinamento será especialmente voltados às alunas já praticantes do Krav Maga.

“Nosso objetivo é que as mulheres percebam que elas podem se prevenir contra a violência, mudando a forma com que elas lidam com o medo e com sua autoestima”, afirma o israelense Grão-Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta – 8º Dan), introdutor do Krav Maga no Brasil e fundador da FSAKM.

Desenvolvido em Israel, na década de 40, por Imi Lichtenfeld, o Krav Maga não é uma arte marcial e sim a única modalidade reconhecida mundialmente como arte de defesa pessoal. Foi criado para que, a partir do treinamento adequado, qualquer pessoa – independentemente de sua idade, sexo ou forma física – possa se defender de um ou mais agressores, armados ou não, usando técnicas simples e eficazes.

Grão Mestre Kobi explica que, com a violência crescente nas ruas ou mesmo dentro de casa, as mulheres precisam estar preparadas para se proteger e para proteger seus filhos. “O treinamento de Krav Maga dá a essa mulher a condição psicológica e física para que ela vença o medo e seja ativa no combate à violência, nem que seja por meio da denuncia”, afirma Grão Mestre Kobi.

Krav Maga para as mulheres – A violência contra a mulher no Brasil aumenta ano a ano. Dados da pesquisa feita pelo Datafolha e encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança (base 2016) são alarmantes:

  • 503 mulheres brasileiras são vítimas de agressão física a cada hora.
  • Em 61% dos casos, o agressor é um conhecido; em 19% das vezes, eram companheiros atuais das vítimas.
  • 43% das agressões ocorreram dentro das casas das vítimas.
  • 40% das mulheres acima de 16 anos já sofreram algum tipo de assédio.
  • 5,2 milhões de mulheres já sofreram assédio em transporte público.
  • 20,4 milhões de mulheres já receberam comentários desrespeitosos nas ruas.
  • 2,2 milhões de mulheres já foi beijada ou agarrada sem consentimento.
  • 10% das mulheres já sofreram ameaça de violência física.
  • 8% das mulheres sofreram ofensa sexual.
  • 4% receberam ameaça com faca ou arma de fogo.
  • 3% (ou 1,4 milhões) de mulheres sofreram espancamento ou tentativa de estrangulamento e 1% levou pelo menos um tiro.

Hoje, 30% dos praticantes de Krav Maga em todo o Brasil são mulheres e essa marca vem crescendo. Isso porque se trata de um modo eficaz de defesa e de prevenção à violência.

Por meio dos treinos, as mulheres aprendem a superar obstáculos físicos e mentais, adquirem coragem e confiança em si mesmas, equilíbrio emocional, mudam a postura frente à vida, a si próprias e ao seu oponente.

Quando as mulheres descobrem que, apesar de não terem a mesma força física do homem, elas são capazes de se defender de forma simples, com movimentos rápidos e eficientes, elas adquirem confiança, se não para se defenderem, ao menos para efetuarem uma denuncia.

O Krav Maga mostra à mulher que ela pode fazer parte da solução para as agressões a ela e a seus filhos e, com isso, ela muda a sua postura frente ao risco.

Krav Maga Mestre Kobi – Em 2018, Grão-Mestre Kobi Lichtenstein completa 50 anos de prática do Krav Maga. Ele começou a praticar o Krav Maga aos três anos de idade com Imi Lichtenfeld e foi o primeiro faixa-preta de Imi a sair do estado de Israel para difundir a modalidade pelo mundo.

Grão-Mestre Kobi trouxe o Krav Maga ao Brasil, em 1990. Ele fundou e hoje dirige a Federação Sul Americana de Krav Maga, a única representante oficial da modalidade no Brasil, México e Argentina e detentora da marca Krav Maga no Brasil.

Ao longo destes anos, a Federação vem realizando um trabalho extremamente sério e responsável. Ainda hoje, o método de prática e de ensino da FSAKM é o mesmo criado por Imi Lichtenfeld e utilizado em Israel.

Para obter mais informações sobre as novas turmas e agendar uma aula gratuita, acesse: www.kravmaga.com.br

Foto assessoria

Por Roberta Provatti

  Editoria: