Elber diz que a população precisa ficar alerta nas eleições de 2018

Elber diz que a população precisa ficar alerta nas eleições de 2018
maio 02 13:40 2018 Imprimir Conteúdo

 

Por Luciana Gonçalves

O vereador Elber Batalha (PSB) utilizou o espaço da Tribuna na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) na manhã desta quarta-feira, 2, para fazer uma reflexão sobre qual será o papel da população brasileira nas eleições de 2018.

De acordo com Elber, a enxurrada de escândalos nos últimos anos que envolveram as esferas Municipal, Estadual e Federal trouxeram à tona o submundo da política no que diz respeito ao caixa dois, a conchavos, a compra e venda de votos. O vereador disse que a população se demonstra revoltada e que, segundo ele, algumas são bastante legítimas, no sentimento de indignação; já outras são outras oportunistas, já que o facismo vem agora em nome de revolta por conta de alguns escândalos. “Meu alerta é para que a sociedade se porte de maneira diferente nas eleições. Nós, cidadãos de bem não podemos querer delegar ao Poder Judiciário, às polícias de um modo geral, ao Ministério Público, a discussão do papel da democracia. Estamos vendo julgados do TSE onde se utiliza a supremacia do voto, ou seja, mesmo sendo comprovado a existência de Caixa Dois e de corrupção, a decisão dos ministros são baseadas na quantidade de votos que este indivíduo teve. É de extrema importância que a população não se omita de sua responsabilidade neste momento histórico e que quebre as regras deste processo de “rearrumar” o Brasil. Precisamos dar importância não só ao voto de presidente, mas ao de governador, senadores e deputados. Porque de nada adianta criticar a classe política quando o cidadão, na hora de exercer a sua responsabilidade que é o voto, não exerce com dignidade necessária e indispensável para fazer de nossa cidade, estado e país lugares melhores”, alertou.

Elber fez alguns relatos que acontecem em Sergipe em relação a compra de votos. Segundo o vereador, no interior do estado está havendo compra de votos antecipada, mesmo com tantas denúncias e escândalos, em Sergipe, o que parece é que nada mudou. “Tudo continua como antes. As práticas não mudam. Burrice, loucura e insanidade é fazer tudo do mesmo jeito e querer que o resultado seja diferente. Se o eleitorado brasileiro não mudar também suas práticas e repudiar veementemente desde já os maus políticos, viciados na compra de votos e dependentes de conchavos eleitorais, nada desse quadro irá mudar. A primeira das mudanças que deve haver é a de mentalidade”, acredita.

“Tenho muito medo quando as pessoas começam um processo de “endeusamento” de algumas figuras. Vivemos um momento onde a Lava-Jato e outros processos colocam figuras como réus e o que vemos recentemente é que as pessoas estão com crise de amnésia e, indivíduos que antes ninguém queria perto, agora andam abraçadas. A sociedade não pode apenas cobrar da classe política. Ela tem sua parcela de responsabilidade quando não pesquisa a vida passada, as bandeiras políticas, a história e os ideias para que depois não haja arrependimento”, finalizou.

Foto César de Oliveira

  Editoria: