Diretoria do Cirurgia é investigada por lavagem de dinheiro

Diretoria do Cirurgia é investigada por lavagem de dinheiro
novembro 07 12:48 2018 Imprimir Conteúdo

A pedido do Ministério Público de Sergipe, por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO e da Promotoria de Justiça do 3º Setor, o Poder Judiciário Sergipano determinou, em caráter liminar, o afastamento da mesa diretora do Hospital Cirurgia, no prazo de 24 horas.

O Juízo de Direito Aldo de Albuquerque Melo nomeou, ainda, a atual diretora administrativa fianceira do Hospital, Márcia de Oliveira Guimarães para a função de interventora judicial por um ano. Para assumir a função, a interventora deverá se desincompatibilizar de outras funções ou cargos no prazo de 05 dias.

Os gestores afastados, Milton Souza de Santana (Presidente); Gilberto dos Santos (1º Tesoureiro), Luciano Passos de Sousa (2º Tesoureiro) e José Augusto Santos da Silva (1º Secretário) ficam também proibidos de exercer qualquer outro cargo no Hospital, até o julgamento da demanda.

Nos autos da ACP, o MP apontou diversas irregularidades no hospital Cirurgia, a exemplo de improbidade administrativa e desvio de finalidade de objeto para o qual foi constituída a Fundação beneficente. Além disso, a denúncia apontou, ainda, movimentações financeiras atípicas, inadimplência com relação às verbas trabalhistas, disparidades salariais, ou seja, fatos que, segundo o magistrado, atestam a má gestão da entidade.

Caso haja descumprimento das decisões judiciais, o Juiz de Direito arbitrou multa diária no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

Os investigados já começaram a ser notificados pelo Ministério Público e devem começar a ser ouvidos na próxima semana.

  Editoria: