Diretoria da CUT/SE unida pela preservação da Reserva Extrativista da Mangaba em Aracaju

maio 09 16:44 2022

 

No último sábado, dia 7 de maio, aconteceu o Café  Partilhado na Reserva Extrativista da Mangaba do Santa Maria Padre Luiz Lemper, no Bairro 17 de Março. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe), Roberto Silva, a vice-presidenta da CUT, Ivônia Ferreira, a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT Cláudia Oliveira e a vereadora por Aracaju e dirigente nacional da CUT, Ângela Melo participaram da atividade de luta em defesa do meio ambiente e da subsistência da comunidade extrativista da região das mangabeiras.

Há várias décadas e várias gerações, a comunidade extrativista da região das mangabeiras sobrevive do extrato e venda da mangaba, produtos derivados, e de outras frutas que brotam na região.

Ao lado do presidente da Associação de Geógrafos do Brasil (AGB), o professor Márcio dos Reis Santos, e o senhor Uilson de Sá da Silva, presidente da Associação de Catadoras e Catadores de Mangaba Padre Luiz Lemper, os dirigentes da CUT Sergipe percorreram o entorno da Região das Mangabeiras e visualizaram os pés de fruta que foram arrancados e os novos pés de fruta plantados no local.

A vice-presidenta da CUT, Ivônia Ferreira, afirmou que a visita reforçou o apoio da CUT a esta luta. “Fui pela primeira vez no Café Partilhado, mas a CUT Sergipe vem acompanhando esta luta a mais tempo com a presença constante de Cláudia Oliveira, secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT”, declarou.

Nesta ocasião, o presidente da CUT Sergipe, Roberto Silva, levou representantes do movimento social para conhecer a região das mangabeiras também. “A luta continua pela resistência das mangabeiras. Na semana passada, mais uma vez, a Prefeitura de Aracaju cometeu um crime ambiental contra a comunidade extrativista. Empurrou a máquina e derrubou vários pés de mangaba. A comunidade resistiu mais uma vez. E esta luta importante contra este crime ambiental tem o apoio da CUT Sergipe”, reforçou Ivônia Ferreira.

Segundo a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT Sergipe, Cláudia Oliveira, a ação da Prefeitura de cultivo de pequenas mudas serviu apenas para divulgar na mídia uma imagem ‘positiva’ da Prefeitura. “Qual o sentido de derrubar mangabeiras carregadas de frutas e plantar poucas mudas de mangaba, que já estão até morrendo? Eles fizeram este plantio só para colocar na mídia. A verdade é que a Prefeitura cada vez mais invade a Reserva Extrativista destruindo os pés de mangaba. Por isso a luta e o apoio devem continuar”, explicou Cláudia.

Foto assessoria

Por: Iracema Corso

  Editoria: