Direção do IML recebe peritos da PF e detalha trabalhos desenvolvidos em Sergipe sobre morte no município de Umbaúba

Direção do IML recebe peritos da PF e detalha trabalhos desenvolvidos em Sergipe sobre morte no município de Umbaúba
maio 28 09:40 2022

Peritos da Polícia Federal foram recebidos na tarde desta sexta-feira (27) pela direção do Instituto Médico de Sergipe a fim de continuar com outros trabalhos periciais referentes ao caso da morte de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, na cidade de Umbaúba, durante uma ocorrência da Polícia Rodoviária Federal.

Segundo Vitor Barros, dretor do IML, os peritos criminais e médicos legistas tiveram acesso aos exames realizados no interior do IML e os procedimentos adotados imediatamente para a coleta de material biológico, que foi encaminhado para trabalhos complementares no Instituto de Análise e Pesquisas Forenses (IAPF).

No atendimento feito pelas equipes da Secretaria da Segurança Pública, Genivaldo chegou às 18h20 da quarta-feira (25), tendo início o processo de identificação por meio da papiloscopia e em seguida encaminhado para o exame de necrópsia.

“Mostramos de forma detalhada todo o trabalho que foi feito e os profissionais ficaram satisfeitos com o resultado. A tendência é que hoje eles façam o trabalho pericial no local da ocorrência. E nos colocamos á disposição para qualquer trabalho extra, pois nossa Perícia hoje tem um boa estrutura para oferecer serviços a outras Instituições”, explicou Victor Barros.

Os primeiros trabalhos periciais em Sergipe neste caso foi possível através de um termo de cooperação existente entre a SSP e a Polícia Federal. O IML detalhou na última quarta-feira (25)  que foi realizada a necrópsia médico forense, sendo coletadas amostras de material biológico. O material foi encaminhado ao Instituto de Análises e Pesquisas Forenses (IAPF) para elucidar a causa imediata da morte.

Foi identificado de forma preliminar que a vítima teve como causa da morte insuficiência aguda secundária a asfixia. A asfixia é quando ocorre alguma obstrução ao fluxo de ar entre o meio externo e os pulmões. Essa obstrução pode se dar através de diversos fatores e nesse primeiro momento não foi possível estabelecer a causa imediata da asfixia, nem como ela ocorreu. Os laudos serão concluídos e encaminhados para a autoridade policial responsáveis

Fonte e foto SSP

  Editoria: