Depois de muitos elogios, hoje Jackson diz que “André Moura é cara de pau”

Depois de muitos elogios, hoje Jackson diz que “André Moura é cara de pau”
setembro 11 09:02 2018 Imprimir Conteúdo

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) e pré-candidato ao senado foi muito duro nas críticas que fez à oposição, principalmente ao deputado André Moura (PSC), também candidato ao senado; Eduardo Amorim (PSDB), candidato a governador e ao senador Antonio Carlos Valadares (PSB).

Embora há alguns meses atrás, o então governador Jackson Barreto pousava para fotos ao lado de André Moura, tecendo elogios pelas verbas que teria conseguido para Sergipe, na manhã desta terça-feira (11), o ex-governador fez um desafio ao deputado: “o que você fez para Sergipe candidato do Temer?. Os bilhões que André disse trazer para Sergipe eu não consigo ver. Faz propaganda fake”, afirmou Jackson.

Durante a entrevista que concedeu, o ex-governador concentrou suas críticas a André, afirmando ainda que o deputado é mentiroso e que quer ser senador “para fazer as coisas mal feitas”. Jackson disse também que “André, Eduardo e Valadares tinham ligação com Temer. Não conseguimos a liberação do Finisa por questões políticas, porque a recuperação das estradas mostra nosso compromisso com nosso estado, mas André Moura segurou o projeto, prejudicando o povo sergipano”, contou o ex-governador.

Sobre a ampliação do aeroporto de Aracaju, Jackson voltou a responsabilizar André, Amorim e Valadares como sendo os parlamentares que impediram. “Fizemos projeto, tiramos o morro do Avião, fizemos o entorno do aeroporto, a urbanização do Santa Tereza. Conseguimos uma emenda de R$100 milhões que passou para R$ 70 milhões. Na semana que íamos licitar a obra, a Infraero divulga uma lista de aeroportos que seriam privatizados com o de Sergipe incluso. Investimos mais de R$ 40 milhões e recebemos um calote de Temer”, disse.

Jackson explicou ainda a sua decisão em se candidatar a uma vaga ao senado, após pedir publicamente que não votassem nele. Segundo Jackson, a decisão foi para atender a um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Eu estive com Lula no Instituto Lula e lá ele me disse que eu devia continuar na política e que tinha muito a oferecer a meu estado”, explicou.

O ex-governador encerrou a entrevista com mais críticas. “André quer se eleger senador para se proteger dos muitos processos que ele tem”, disse Jackson e conclui com sua metralhadora virada para Eduardo Amorim: “eu nunca vi alguém ter vergonha de seu nome. Agora ele tirou o nome do irmão. Eu graças a Deus tenho orgulho do nome de meu pai e minha mãe”, disse.

 

 

  Editoria: