Definidos os dez delegados que representarão Sergipe na Conferência Nacional de Educação 2022

junho 20 16:47 2022

Os representantes foram eleitos durante a IV Conferência Estadual de Educação

Sergipe já definiu os 10 delegados que participarão da Conferência Nacional de Educação (Conae) e irão contribuir para a construção do novo Plano Nacional de Educação (PNE), que determina diretrizes, metas e estratégias para a política educacional no período de 2024 a 2034. Os representantes titulares e suplentes foram escolhidos por meio de eleição realizada durante o terceiro dia da Conferência Estadual de Educação, na última quarta-feira, 15, no teatro Tobias Barreto, em Aracaju. No decorrer do evento, também foram votadas as emendas e propostas que compõem o documento de referência

Os delegados eleitos de Sergipe são formados por 50% de representantes da educação básica, 30% da educação superior e 20% da educação profissional e tecnológica. Os representantes da educação básica são: José Carlos Cruz Santos, Ana Lúcia Lima da Rocha Muricy, Maria Paula de Melo Santos, Roney Rafael Menezes de Almeida e Lizania de Jesus Santos. A educação superior será representada pelos delegados Juvenilson Menezes, Núbia Lira e Marcos Santana. Já a EPT terá como representantes Hestia Raíssa Batista e Rivânia Andrade. É importante destacar que a participação dos delegados eleitos na Conferência Nacional de Educação será validada por meio da presença na Conferência Estadual de Educação. É preciso ter 80% de frequência em todo o evento.

Fazendo uma avaliação dos três dias de evento, a coordenadora do Fórum Estadual de Educação de Sergipe, professora Jociela Morais, destacou que a realização da IV Conferência Estadual de Educação é mais um marco para a educação sergipana. “O que marca todo esse processo, o qual vivenciamos nesses três dias, é a crença, é o brilho nos olhos que nós temos pela educação e transformação que ela proporciona. Essa transformação se dá por uma educação de qualidade não para um, não para dois, mas para todos, e é por esta razão que estivemos todos juntos nesses dias lutando por uma educação com inclusão, com equidade e com qualidade para a mudança que esperamos”, declarou.

Prevista para acontecer entre os dias 23 e 25 de novembro, a Conae 2022 vai reunir representantes de todo os estados, os quais irão se debruçar em pautas como o novo PNE, Sistema Nacional de Educação; Educação Nacional, abordando aspectos como formação de professores e formação continuada; Base Nacional Comum Curricular – Currículos; financiamento, entre outros; e Equidade e Qualidade na Educação. “A expectativa para Conae é imensa. Queremos defender o que nós aqui colocamos como contribuição para o novo PNE, defender aquilo que durante todos estes seis meses nós estivemos discutindo”, frisou Jociela Morais, fazendo referência a uma citação do educador Paulo Freire: “A educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa”.

A expectativa para a Conae também é compartilhada entre os delegados eleitos. Representante da Educação Básica, Lizania Santos, do segmento de pais de alunos, afirmou que não esperava ser eleita para a conferência nacional. “Foi uma surpresa para mim. Realmente eu não esperava. Meu objetivo é representar os pais e enfatizar que eles também devem participar da educação dos seus filhos, levar o conceito de que a família precisa participar desse processo. Hoje sou voluntária na escola, e a gente vê a luta que é trazer e trabalhar isso, mas temos que ser perseverantes e buscar sempre o melhor, e isso só vai dar certo se estivermos juntos com os professores, conversando, buscando entender o que se passa em sala de aula, compreender o papel da escola. Tudo isso é Outro delegado eleito que falou da importância da Conae foi Juvenilson Menezes, representante da educação superior. “Além de uma grande honra de participar desse momento ímpar em Sergipe, essa conferência realmente representa um marco. É um momento de virada da educação no nosso estado, um momento de pluralidade no qual a gente discute realmente coisas que vão chegar ao chão da sala de aula, principalmente no interior, nos cantos mais longínquos. Então para mim é uma oportunidade em que nós temos de construir uma sociedade melhor, uma sociedade que realmente dignifica a educação como um povo, como política pública, como gestão pública dentro do nosso estado e do Brasil”, concluiu.

Ao fim da conferência, o presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência e Altas Habilidades em Sergipe, Antônio Luiz dos Santos, mediou a palestra intitulada “A Conferência acabou aqui e começa lá!”.

Fonte e foto assessoria de Comunicação da SEDUC

  Editoria: