Covid-19: Secretaria da Saúde orienta famílias sobre cuidados com as crianças

Covid-19: Secretaria da Saúde orienta famílias sobre cuidados com as crianças
julho 16 12:58 2020 Imprimir Conteúdo

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Programa Saúde da Criança, traz algumas orientações aos pais e responsáveis sobre os cuidados que estes devem ter com suas crianças durante a pandemia do novo coronavírus. O objetivo é ajudá-los a atravessar este momento com serenidade e compromisso com o bem estar dos pequenos, adotando medidas reconhecidas por sociedades científicas de modo a mantê-los longe dos riscos de contágio.

Entre as orientações recomendadas estão principalmente a prevenção que, em se tratando do novo coronavírus, deve acontecer a partir do isolamento e distanciamento sociais. Isso quer dizer que pais e responsáveis devem manter as crianças em casa, evitar que elas tenham contato com pessoas doentes ou suspeitas de Covid-19, mantê-las em um distanciamento de dois metros das outras pessoas quando for necessário sair de casa, usar máscaras em maiores de dois anos de idade, ensiná-las a lavar bem as mãos e a utilizar lenço descartável em caso de sintomas gripais.

Na prevenção, como destaca a coordenadora do Programa Saúde da Criança, Helga Muller, o uso de máscara é fundamental para reduzir os riscos de contágio. Isso porque a máscara cria uma barreira física impedindo que gotículas com carga virial atinja a criança. Importante salientar que o uso de máscaras em menores de dois anos não é aconselhável, por oferecer risco de sufocamento, além do fato de crianças menores de dois anos levarem frequentemente as mãos ao rosto, facilitando a contaminação.

“Outro fator de importante observação é a higienização ambiental e das superfícies com álcool a 70%. Os adultos devem manter a casa limpa e desinfetar todos os dias mesas, cadeiras, telas de computador, maçanetas, interruptores de luz, brinquedos, celulares, entre outros objetos que estão no dia a dia da família”, relacionou Muller.

Sintomas

Como saber se a criança adquiriu o vírus? É preciso observar os sintomas. A sintomatologia da Covid-19 compreende dor de cabeça, febre, tosse, coriza, dor de garganta, falta de ar, diarreia, náusea ou vômito, além de dores no corpo.

O que fazer?

As evidências científicas mostram que a maioria das crianças com a Covid-19 apresentam sintomas leves e evoluem bem, mas é preciso que pais e responsáveis estejam alertas para alguns sinais e sintomas que exigem atendimento médico imediato que são: febre em bebês menores de três meses que não passa com antitérmico, retorna em menos de seis horas e permanece até o terceiro dia; hipotermia, que pode ser observada em, criança com a pele fria; alteração do estado geral da criança, com prostração, sono além do normal e sem interação com a família.

A coordenação do Programa Saúde da Criança destaca que pais e responsáveis não devem se valer de automedicações como anti-inflamatórios para controlar a febre da criança. “É preciso usar a autonomia, mas com orientação médica”, disse a coordenadora, orientando pais e responsáveis a manterem a vacinação em dia durante a pandemia para que elas sejam imunizadas contra outros vírus que circulam no Estado, e ainda atualizando o registro vacinal na caderneta da criança.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: