Corpo de Bombeiros de Sergipe comemora 98 anos de história

Corpo de Bombeiros de Sergipe comemora 98 anos de história
setembro 30 08:10 2018 Imprimir Conteúdo

O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) realiza, neste 1º de outubro, às 19h, no auditório do Ministério Público Estadual, em Aracaju/SE, uma formatura em homenagem aos 98 anos da corporação. A solenidade contará com a promoção de 47 oficiais e praças, honras a coronéis da reserva e entrega oficial de 66 novos equipamentos de proteção respiratória (EPR) para atuação em incêndios e 06 serras sabre, equipamentos de corte usados em operações de salvamento e resgate veicular.

Dentre os bombeiros promovidos, 01 capitão chega ao posto de major, 02 militares sobem ao posto de capitão, 02 militares chegam ao posto de 1º tenente, 20 militares ascendem ao posto de 2º tenente; 9 passam para graduação de subtenentes; 8 recebem as insígnias de 1º sargento, outros 02 passam a ser 2º sargentos e 03 ascendem à graduação de cabo. Desse total, 15 praças foram promovidos com base na lei de progressão por tempo de serviço.

Histórico

O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe foi criado em 1º de outubro de 1920, com a denominação de “Seção Sapadores-Bombeiros” do Batalhão Policial da então força pública do estado. O primeiro comandante da história da corporação foi Amyntas Alves Barreto e os primeiros veículos adquiridos foram um carro bomba a vapor e uma escada magyrus, ambos de tração animal. Atualmente, o Corpo de Bombeiros possui 529 militares e unidades operacionais nas cidades de Aracaju, Estância, Itabaiana, Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e Propriá.

Novos equipamentos

O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) adquiriu 60 equipamentos de proteção respiratória (EPR) modelo Air-Pak 75i da Scoth e recebeu outros 06 EPRs do legado da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) . O material, importado dos Estados Unidos, é um dos mais modernos e segue padrões mundiais de qualidade, tendo sido projetado com ampla contribuição de bombeiros militares. Os novos EPRs possuem características aprimoradas de design, robustez e conforto, com redutor de pressão duplo e redundante, arreios em kevlar, suporte dorsal em alumínio aeronáutico e proporciona a troca do cilindro em menos de 30 segundos.

Também foram doados pela Força Nacional, em contrapartida pela liberação de três bombeiros sergipanos para atuação nas missões de segurança do Ministério da Justiça, 06 serras sabre, equipamentos de corte usados em operações de salvamento e resgate veicular. Os 12 materiais doados pela FNSP somam R$ 50,6 mil.

Já o investimento do CBMSE nos 60 EPRs foi de cerca de cerca de R$ 730 mil. De acordo com o diretor de Logística e Finanças do CBMSE, coronel Luiz Henrique Melo, a aquisição foi feita por verba própria da corporação, arrecadada com as taxas de prevenção contra incêndio e pânico. “O processo de aquisição começou a ser feito em 2017. E a expectativa é que, no começo do próximo ano, já possamos adquirir outros novos equipamentos de segurança para o Corpo de Bombeiros”.

O EPR é imprescindível para proteger as vias respiratórias dos bombeiros em atividades de combate a incêndio ou resgate em edificação incendiada, evitando qualquer contato desprotegido com a fumaça. Durante o incêndio, além da formação de gases tóxicos, a combustão consome oxigênio, deixando o ar em volta pouco respirável. A exposição dos bombeiros à fumaça pode acarretar desde irritação das vias aéreas até o comprometimento das funções vitais, pois ela pode conter substâncias que prejudicam o trato respiratório ou que podem ser absorvidas pela corrente sanguínea.

Fonte: Corpo de Bombeiros

  Editoria: