Coronavírus em Sergipe: aumento de homicídios e desvalorização dos profissionais de Segurança

abril 15 12:38 2020 Imprimir Conteúdo

Somente nesses primeiros 15 dias do mês de abril, o menor estado do país registrou no mínimo 50 homicídios dolosos. E não paramos por aí no cenário da violência e criminalidade em Sergipe. Não é de hoje que o descaso e abandono do governo Belivaldo com a Segurança Pública é observado e divulgado diariamente. Com ou sem Coronavírus, as pessoas estão morrendo.

Nem mesmo durante a fase de isolamento social, decretado pelo próprio governador Belivaldo, que restringe a circulação de pessoas no estado, foi pensado um plano ou medidas com o objetivo de fortalecer a Segurança Pública, evidenciando ainda mais a ausência de Políticas Públicas efetivas em uma área tão importante para a sociedade.

Esses profissionais continuam sendo essenciais para a sociedade e não podem parar em tempo algum. Enquanto a maioria das pessoas pode e deve ficar em casa, os policiais civis precisam se arriscar ainda mais na labuta diária. A contaminação é real e não somos imunes. Os policiais civis estão tendo que gastar do próprio bolso para se protegerem do Coronavírus, enquanto o Governo apenas cobra e a gestão da Polícia Civil se omite. Não foi sequer pensado um plano de vacinação específico para esses profissionais, como o Corpo de Bombeiros fez. Uma simples parceria com a Secretaria de Saúde teria resolvido o problema, como o próprio sindicato sugeriu há alguns dias. Fazer campanha solidária para arrecadar alimentos aos que mais precisam como a Polícia Civil está fazendo é importante e humano, mas cuidar dos problemas de casa primeiro se faz necessário há muito tempo. Os policiais civis se sentem abandonados e essa tem sido a maior reclamação nas delegacias, principalmente nos interiores.

Naturalmente nossas contas não deixaram de chegar por conta do Coronavírus. E os nossos problemas seguem sem respostas: reposição inflacionária, fusão dos cargos da base da Polícia Civil, redução do tempo que o policial demora a ser promovido na carreira, além de auxílio alimentação e auxílio saúde, que os demais profissionais da área recebem e os policiais civis não. Muitas promessas por parte do Governo e nenhuma atenção aos problemas daqueles que protegem a sociedade diariamente.

Enquanto o Governo vira as costas para os policiais civis, Sergipe continua com altos registros de violência. Não foram apenas os homicídios dolosos que aumentaram, o cenário de violência doméstica também é assustador. Dizer que a culpa é do Coronavírus não serve, o povo quer ação, respostas imediatas do Governo para conter a expansão da criminalidade. Esse tem sido o estilo Belivaldo Chagas de administrar: mantendo-se distante dos profissionais e seus reais problemas, sem diálogo, impondo mais trabalho a cada dia.

Os policiais correm risco diário de morrer em combate ou de Coronavírus, mas isso parece ser um detalhe nesse momento. Precisamos continuar fingindo que somos super heróis, enquanto o Governo de Sergipe continua fingindo que leva a Segurança Pública a sério por aqui. E vida que segue para aqueles que conseguirem sobreviver nos próximos dias.

Seguimos na luta!

Adriano Bandeira
Presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE)

  Editoria: