Conselho de Psicologia de Sergipe promove debates virtuais sobre combate a LGBTfobia

maio 14 13:57 2020 Imprimir Conteúdo

Em alusão ao 17 de maio, Dia Mundial e Nacional de combate à LGBTfobia, data que celebra a diversidade e fortalece a luta contra o preconceito, o Conselho de Psicologia de Sergipe, por meio do Grupo de Trabalho Gênero e Diversidade Sexual, da comissão de Direitos Humanos, com o apoio da Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública-RENOSP e SexUS/UFS, inicia nesta sexta-feira, 15, a Semana de Combate a LGBTfobia. Com o tema “Se fere a nossa existência, seremos resistência”, o evento trará debates virtuais no Instagram @gt_generoesexualidades.

Pela programação, na sexta-feira, 15, às 20h, a advogada Ana Carolina Fernandes, membro do GT de Gênero do CRP/19 e que já atuou como voluntária em projetos de pesquisa da Transjus e Leandro Martins da Silva, graduado em direito, guarda municipal de Aracaju e coordenador de comunicação da Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública LGBTI+ (RENOSP/LGBTI), apresentam o tema “Instituições de apoio a população LGBTQIA+”.

No sábado, 16, às 17h, o tema será “Uso de drogas e gênero: em uma perspectiva antimanicomial e antiproibicionista”, com a psicóloga Camila Calaça, pesquisadora e coordenadora do GT de Gênero e Diversidade Sexual/CRP19 e Laina Crisóstomo Queiroz, advogada feminista e fundadora da ONG Tamos Juntas.

No domingo, a advogada Ana Carolina Fernandes e o psicólogo Norton Cruz, membro do GT de Gênero e Diversidade Sexual/CRP19 e pesquisador sobre preconceito de gênero, diversidade e prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, promovem o debate sobre “LGBTQIA+: que sopa de letrinhas é essa?”. A live começa às 19h.
Já na segunda a transmissão ao vivo está marcada para às 11h. O assunto “Essa “novinha” é uma criança: uma discussão sobre exploração sexual infantil”, estará em questão com o psicólogo Norton Cruz e o Prof. Dr. Elder Cerqueira, pós doutorado em sexualidade pela University of Toronto (Canadá), doutor em psicologia, professor na Universidade Federal de Sergipe, coordenador do SexUS/UFS e consultor da Childhood na área de exploração sexual de crianças e adolescentes.

Por Amália Roeder
Assessoria de Comunicação/CRP19

  Editoria: