Chega ao fim a 1ª edição da Taça das Favelas em Aracaju

Chega ao fim a 1ª edição da Taça das Favelas em Aracaju
novembro 19 05:28 2018 Imprimir Conteúdo

 

Neste sábado, 17, o campo do Anchietão, no bairro Bugio, foi palco da grande final da primeira edição da Taça das Favelas, nas categorias feminino e masculino, entre 15 e 17 anos. O campeonato, organizado pela Central Única das Favelas de Sergipe (Cufa-SE), foi criado pela CUFA nacional em 2012 e desde então já movimentou mais de 100 mil jovens.

Somente este ano a competição chegou a Aracaju, e já em sua primeira edição reuniu 16 equipes masculinas e três femininas. O intuito é promover integração entre as comunidades. Valores estes que são compartilhados pela Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp), que tem como um de seus objetivos promover o esporte como ferramenta de inclusão, cumprindo com o que está dentro do Planejamento Estratégico da Prefeitura de Aracaju, elaborado na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira.

“Estamos aqui para somar a essa competição. O trabalho feito pela CUFA nesse campeonato se assemelha ao que estamos promovendo ao longo desse ano, fomentando o esporte em bairros da capital e estimulando os talentos dos jovens aracajuanos”, declarou o secretário Jorge Araujo Filho, que esteve presente na cerimônia de premiação.

Desde o início, os jogos da Taça das Favelas contam com o apoio logístico da Sejesp. A parceria rendeu bons frutos e já em sua primeira edição foi um sucesso.  “Buscamos promover o esporte em diversas modalidades, sempre oportunizando para a juventude. A Taça das Favelas assim como as competições e atividades que realizamos, é mais uma ferramenta que une a comunidade. Diversos bairros foram representados aqui, mas o importante foi a integração entre eles”. disse o diretor de Esporte e Lazer da secretaria, Jersonilton Júnior.

A final do campeonato foi sinônimo de alegria.  Os times entravam em campo orgulhosos e contentes pela oportunidade de representar os bairros da capital. Na categoria feminina, o grande vencedor foi a equipe do Bairro Malvina. O técnico, Nadson Menezes, pontuou o apoio realizado pela Sejesp.

“Primeiramente gostaria de parabenizar a organização, é muito válido o apoio da Sejesp para esses adolescentes, principalmente valorizando o futebol feminino que é cheio de preconceitos. E hoje a sensação é de dever cumprido na luta pelo futebol feminino. E que venham mais”.

Vencedor na categoria de base masculino, a equipe do Real Sergipe levou para o bairro Bugio o título de campeão. De acordo com o técnico Marconi Gois, a torcida é para que venha uma segunda edição. “Só de ter essas competições para os jovens praticarem esporte e não ficarem parados, já é um grande ponto positivo, sabemos que em Sergipe são poucos campeonatos de base. Essa competição foi tão organizada, junto com o professor Luiz Carlos Bossa Nova, que sempre organiza as grandes competições aqui, fazemos questão de participar. Foi uma final bastante disputada, dois ótimos times, mas graças a Deus conseguimos ganhar nos pênaltis. E que no próximo ano tenha mais jogos da Taça das Favelas”.

Fonte e foto assessoria

  Editoria: