CER IV realiza evento sobre prescrição e confecção de órteses sob medida para 40 profissionais

CER IV realiza evento sobre prescrição e confecção de órteses sob medida para 40 profissionais
junho 21 10:01 2022

 

O evento oportunizou uma manhã teórica e uma tarde voltada para a experiência prática de confecção de órteses para a mão destinadas, principalmente, para  de pacientes que demandam de reabilitação neurológica.

O Centro Especializado em Reabilitação José Leonel Ferreira Aquino – CER IV, equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES), nesta segunda-feira, 20, foi cenário da “Capacitação, Atualização em Reabilitação Física-Prescrição e Confecção de Órteses sob medida”, um evento formativo oferecido a cerca de 40 profissionais, dentre eles, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas da rede estadual de saúde.

“Há uma demanda muito alta no que diz respeito à prescrição de órteses no estado, então, surgiu essa necessidade no CER IV e junto com a Funesa, ampliamos para profissionais da rede estadual. Em todo serviço de reabilitação há essa necessidade da prescrição, então, descobrimos que uma colega do hospital de Itabaiana tinha essa formação e ela veio compartilhar com os terapeutas ocupacionais da rede e fisioterapeutas do CER IV”, salientou o gestor operacional da área visual do CER IV, Danilo Araújo, um dos responsáveis pela organização do evento.

O evento promovido pela SES, por meio do Núcleo Estadual de Educação Permanente (NEEPS), diretoria da Atenção Especializada e Urgência (DAEU) e Fundação Estadual de Saúde (Funesa), oportunizou uma manhã teórica e uma tarde voltada para a experiência prática de confecção de órteses para a mão destinadas, principalmente, para  de pacientes que demandam de reabilitação neurológica.

“Pela manhã tivemos a aula teórica, eu apresentei conceitos sobre anatomia, a parte mecânica das órteses, os tipos de materiais necessários para a confecção. No turno da tarde os participantes estão aprendendo como manipular esses materiais, aprenderam três modelos de órtese. Nas etapas, aprenderam a desenhar os moldes, passar para as placas de termoplástico, aquecer na panela elétrica antiaderente, recortar e, assim, moldar na mão do paciente. A dinâmica incluiu a divisão da turma em grupos de três profissionais que integram o mesmo serviço, então, à medida que um aprende pode depois repassar para outros colegas”, detalhou Ana Evelyn dos Santos Oliveira, terapeuta ocupacional que foi facilitadora do processo.

De acordo com a terapeuta ocupacional, as técnicas aprendidas para a prescrição e confecção de órteses sob medida com o uso de materiais termoplásticos, podem ser adaptadas para outras necessidades dos pacientes. “O objetivo é que os profissionais consigam entender a mecânica das órteses, raciocinar clinicamente para confeccionar qualquer modelo que venham a necessitar, então, os modelos apresentados aqui na parte prática são apenas um esboço de tudo o que pode ser confeccionado por eles no ambiente clínico. As órteses têm essa capacidade de prevenir deformidades, evitar que  pacientes precisem ir para o centro cirúrgico e facilitam o processo de reabilitação daqueles que venham a necessitar”, explica Ana Evelyn.

A terapeuta ocupacional, Patrícia Lins, profissional que atua no Centro de Reabilitação tipo II, localizado no bairro Siqueira Campos e no Hospital Universitário da UFS (HU/UFS), concorda que os saberes e fazeres da capacitação contribuem para a melhoria dos serviços. “Tanto a parte teórica quanto a prática foram muito boas, porque a gente consegue visualizar a aplicabilidade dessas órteses sob medida e aplicar isso no serviço. No estado de sergipe a gente não tem muita oferta de órtese sob medida, lá no HU a gente já tem feito esse trabalho destinado a membros superiores, principalmente, órtese de mão, mas ainda é muito restrito, então, quanto mais profissionais estiverem aptos a fazer, melhor porque conseguiremos alcançar mais serviços no estado”, ratifica a participante do evento.

  Editoria: