Carreata em Aracaju denuncia banqueiros de tentar retirar direitos dos bancários

Carreata em Aracaju denuncia banqueiros de tentar retirar direitos dos bancários
agosto 25 06:35 2020 Imprimir Conteúdo

 

Nova rodada de negociação com a Fenaban também será terça-feira, às 14h

Nesta segunda-feira (24), na capital sergipana, o Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE) realizou uma carreata para chamar à atenção da sociedade quanto à arrogância e mesquinharia dos banqueiros nas rodadas de negociação da campanha salarial da categoria. A mobilização está acontecendo em todo o país, para impedir que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) não retire direitos e conquistas dos trabalhadores (as) das instituições financeiras.

Seguindo os cuidados com o destanciamento social, a carreta no centro de Aracaju ocorreu em horário de expediente, às 10h, e contou com a participação de dirigentes sindicais e os funcionários e funcionárias dos bancos (públicos e privados), que estão em Home Office. Nesta pandemia, esse segmento está entre as categorias da classe trabalhadora consideradas como essencial, portanto, em risco de contaminação do Covid-19.

*Assembleias organizativas serão na terça (25)*

Da agenda de mobilização da Campanha Nacional d@s Bancári@s, a próxima terça-feira (25) será o dia de realizações de assembleias organizativas virtuais. “O link para participar da assembleia do SEEB/SE será disponibilizado a partir desta terça-feira, pela manhã”, divulga a presidenta do SEEB/SE Ivânia Pereira.

Uma nova rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancári@s e a Fenaban acontecerá também nesta terça-feira, às 14h.

Direitos ameaçados

Dos ataques aos direitos e conquistas, nas últimas rodadas, dos últimos dias 18, 20 e 21, a Fenaban propôs reduzir em até 48% a PLR, ameaçou retirar a 13ª cesta de alimentação, reduzir de 55% para 50% o valor da gratificação por função, além de descontar do bancário os valores do vale alimentação e vale refeição em caso de cobrança de imposto pela Receita Federal. Afirmaram ainda que não reajustarão os salários e as verbas econômicas da categoria, nem mesmo para repor a inflação. Isso de cara, significaria uma perda de 2,65% no poder de compra dos salários.

“Os bancários e bancárias não aceitarão essa arrogância e mesquinharia. Mesmo com a crise provocada pela pandemia, os bancos continuam com lucro fabuloso. A categoria está mobilizada e precisa contar com o apoio da sociedade”, afirma Ivânia Pereira.

A notícia positiva nas rodadas foi o recuo dos bancos em relação à 13ª cesta alimentação, que será mantida. Os banqueiros  apresentaram também uma proposta sobre o teletrabalho que será analisada pelo Comando.

Acompanhe e participe da campanha pelas redes sociais do SEEB/SE.

Por Déa Jacobina

Foto Ascom do SEEB/SE

  Editoria: