Botijão de gás consome 40% da renda dos mais pobres

Botijão de gás consome 40% da renda dos mais pobres
junho 19 08:51 2018 Imprimir Conteúdo

Se tem uma coisa que não pode faltar em nenhuma casa é o gás de cozinha. No entanto, ele está cada vez mais caro e já é responsável pelo gasto de 40% da renda das famílias mais pobres.

Nos últimos 12 meses, o preço médio do botijão de gás residencial subiu mais de 20%, segundo o levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em Aracaju, a média de preço varia entre R$ 75 e R$ 90.

“Esse peso no orçamento familiar poderia ser melhor distribuído – e até evitado – com um projeto de lei que propus na Câmara”, lembra José Carlos Machado, pré-candidato a deputado federal pelo PPS.

O projeto previa a compra fracionada do gás, possibilitando que as famílias adquirissem apenas a quantidade de que precisavam ou de que pudessem pagar.

“Além disso, o projeto também previa a devolução do dinheiro correspondente à sobra no botijão, que, embora pareça pouco, rende milhões à indústria anualmente”, ressalta Machado.

Para ele, com as constantes altas nos preços, ambos os projetos devem ser retomados o quanto antes. “São projetos que só beneficiam a classe trabalhadora, as famílias mais pobres e por isso pretendo voltar a discutir a necessidade deles”, garante.

Por Tanuza Oliveira

  Editoria: